Mamta Popat/Reuters
Mamta Popat/Reuters

Nasa escolhe astronauta substituto para comandar voo do Endeavour em abril

Veterano será treinado para assumir missão à ISS, caso marido de deputada baleada não possa

NYT

14 Janeiro 2011 | 17h35

WASHINGTON - O astronauta veterano Rick Sturckow será treinado para assumir o comando do ônibus espacial Endeavour na próxima missão, marcada para 19 de abril, caso o atual líder, Mark Kelly, continue afastado para cuidar da mulher, a deputada democrata Gabrielle Giffords, baleada na cabeça durante um tiroteio no Arizona no último sábado, 8.

Em comunicado divulgado pelo porta-voz da Nasa, Alan Brown, Kelly diz: "Recomendei à direção que tome medidas imediatas para se preparar para completar a missão durante a minha ausência, se necessário. Estou muito esperançoso de que estarei em condições de voltar para junto de meus tripulantes na missão STS-134 e terminar nosso treinamento".

O alto escalão da Nasa deixou claro que o anúncio não significa necessariamente que Kelly será substituído no voo do Endeavour à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês). Scott, irmão de Kelly, também está na ISS.

"Mark ainda é o comandante da STS-134", disse Peggy Whitson, chefe do Escritório de Astronautas. "Ele está enfrentando muitas incertezas agora, ao dar apoio para Gabrielle, e nosso objetivo é permitir que ele mantenha sua atenção na família, sem distrações, enquanto acertamos os preparativos para o progresso dessa missão."

Gabrielle foi baleada na cabeça à queima-roupa em um encontro ao ar livre com cidadãos de sua cidade natal, e permanece em estado crítico. No entanto, ela fez um progresso significativo na última quinta-feira, ao abrir os olhos e sentar-se na cama, deixando os médicos otimistas sobre sua recuperação.

A missão do Endeavour, inicialmente prevista para o início de abril, foi adiada por causa de atrasos do voo do ônibus espacial Discovery, agora previsto para o dia 24 de fevereiro. A Nasa precisa de um tempo extra para preparar o lançamento do Endeavour, além de verificar se ele tem o mesmo problema que atormenta o Discovery - rachaduras no tanque de combustível externo.

A tripulação de seis membros vai voar por 14 dias rumo à ISS para levar peças de reposição e o Espectrômetro Alfa Magnético (AMS, sigla em inglês), um experimento físico de US$ 1 bilhão (R$ 1,68 bilhão) projetado para pesquisar a matéria escura no Universo.

Essa será a última missão do Endeavour antes de ele se aposentar. Dependendo se o Congresso liberar dinheiro suficiente para a última partida do Atlantis, em junho, esse poderá ser o voo final do programa de ônibus espaciais americano.

Mais conteúdo sobre:
Nasa Endeavour ônibus espaciais

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.