Nasa inicia contagem regressiva para lançamento do Discovery

O módulo italiano Harmony II, que será instalado na ISS, aumentará o espaço interior do laboratório orbital

Efe,

20 de outubro de 2007 | 23h06

 Os astronautas do Discovery iniciaram neste sábado a tradicional contagem regressiva de três dias, que terminará na terça-feira com o lançamento da nave rumo à Estação Espacial Internacional (ISS). "Todos os nossos sistemas estão em bom estado. Não há nada a comentar", disse  à imprensa o responsável do lançamento, Charlie Blackwell-Thompson.   Os sete membros da tripulação partirão na terça-feira, às 13h38 (em Brasília), do Centro Espacial Kennedy, na Flórida, e seu retorno está previsto para 6 de novembro, às 7h47.   A Nasa deu na quarta-feira o sinal verde à missão, após determinar que os problemas detectados na cobertura de carbono dos painéis nas bordas anteriores das asas do Discovery não constituíam um problema de segurança.   O único impedimento que pode adiar a decolagem é a meteorologia, já que os especialistas calculam que há 40% de probabilidade de que chova ou que o céu esteja nublado.   O Discovery partirá com alimentos e equipamentos para a ISS, além do módulo Harmony II, que será agregado à estrutura da estação internacional durante cinco caminhadas ou atividades extraveiculares.   Quatro das cinco caminhadas espaciais serão realizadas por tripulantes do Discovery e, a quinta, pelos ocupantes da ISS.   Em uma curiosa coincidência, pela primeira vez na história duas mulheres estarão no comando da nave e da Estação Espacial Internacional.   O Discovery será comandado pela coronel Pamela Melroy, que será recebida na ISS pela responsável da estação, a bioquímica Peggy Whitson.   Além de Melroy, a tripulação do Discovery inclui o italiano Paolo Ángelo Néspoli, astronauta da Agência Espacial Européia; a especialista Stéphanie Wilson e os astronautas George Zamka, Scott Parazynski, Douglas Wheelock e Daniel Tani.   Tani se incorporará à tripulação da estação internacional, em substituição do astronauta da Nasa Clay Anderson, que voltará à Terra a bordo do Discovery.   As missões com ônibus espaciais, suspensas após o acidente com o Columbia, em fevereiro de 2003, e retomadas em julho de 2005, acrescentaram várias vigas de extensão na ISS, que orbita a cerca de 380 quilômetros da Terra.   O módulo italiano Harmony II, que será instalado na ISS, aumentará o espaço interior do laboratório orbital e fornecerá pontos de conexão com os módulos europeu e japonês.   Ele é similar ao módulo hexagonal Unity, que conecta as seções americana e russa na ISS.

Tudo o que sabemos sobre:
nasadiscoveryissônibus espacial

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.