Nasa usa nanotubos para ajudar na pesquisa do câncer

Tecnologia também poderia ser aplicada no tratamento de outros processos patológicos no cérebro

Efe,

17 de janeiro de 2008 | 15h43

O Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da Nasa anunciou na quarta-feira, 16, que se uniu ao centro de pesquisa e tratamento do câncer City of Hope, para pesquisar o uso de nanotubos no diagnóstico e tratamento de tumores cerebrais.  Segundo um comunicado do JPL, a nanotecnologia pode revolucionar a medicina, com um papel determinante no tratamento seletivo do câncer. A nota acrescentou que os pesquisadores do City of Hope querem incentivar a reação imunológica do cérebro contra os tumores, fornecendo agentes anticancerígenos através dos nanotubos. "Estou muito otimista com a nanotecnologia. Esperamos começar os testes em seres humanos em cinco anos", afirmou Behnam Badie, diretor de neurocirugia do City of Hope. Segundo Badie, a tecnologia também poderia ser aplicada no tratamento de derrames cerebrais, traumas, transtornos neurodegenerativos e outros processos patológicos no cérebro. Os nanotubos são cerca de 50 mil vezes mais finos que um fio de cabelo humano, mas podem ter vários centímetros de comprimento. Eles serão fabricados para o City of Hope pelo Nano and Micro Systems Group do JPL, que investiga seus usos há mais de sete anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.