Nigéria registra 38 mil casos e 1.555 mortes por cólera em 2010

Embora o problema seja endêmico, chuvas e condições de higiene influenciaram rápida propagação

Efe

22 Outubro 2010 | 22h11

GENEBRA - A propagação da cólera na Nigéria já causou 1.555 mortes em 2010, e o número de casos da doença chegou a 38.173, três vezes mais que o registrado no ano passado, segundo dados divulgados nesta sexta-feira, 22, pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

"Embora o problema da cólera no país seja endêmico, as chuvas e as condições de higiene influenciaram essa rápida propagação", declarou a porta-voz da Organização Mundial da Saúde (OMS), Fadela Chaib.

Apesar de ainda serem contabilizados novos casos, principalmente nos estados do nordeste nigeriano, o Unicef informou em comunicado que a propagação da doença foi bastante reduzida.

Oito em cada dez casos de cólera são detectados em crianças e mulheres, de acordo com estimativas da Cruz Vermelha. Segundo o Unicef, a taxa de mortalidade entre os doentes é de 4,5%. No entanto, esse índice é muito maior em pelo menos três dos Estados afetados por inundações ou que acolheram pessoas que tiveram de deixar suas casas, como Plateau (20%), Sokoto (16,9%), e Gombe (11,1%).

Em 2009 foram registrados 13.691 casos de cólera na Nigéria, enquanto em 2008 foram 5.410, e em 2007, 1.661.

Mais conteúdo sobre:
cólera Nigéria OMS Unicef

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.