Claudio Furlan/LaPresse via AP
Claudio Furlan/LaPresse via AP

A cidade de Niterói, no Rio, anuncia testes em massa contra a covid-19

Com a chegada de 40 mil kits fabricados nos Estados Unidos, serão testadas todas as pessoas com algum sintoma respiratório

Fábio Grellet/ RIO, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2020 | 19h53

Com 42 casos confirmados de covid-19 e um morto pela doença até domingo (29), o município de Niterói, na Região Metropolitana do Rio, vai começar a fazer testes em massa em pessoas suspeitas de ter contraído o coronavírus, segundo o prefeito Rodrigo Neves (PDT) informou, em live no Facebook, neste domingo. Vai ser a primeira cidade no Brasil a fazer isso, segundo ele.

Neves afirmou que a prefeitura comprou 40 mil testes fabricados nos Estados Unidos, que vão chegar em Niterói na próxima quarta-feira, dia 1º, e serão usados para testar todas as pessoas com algum sintoma respiratório, mesmo leve. A ideia é identificar e isolar os doentes, como fizeram países como Coréia do Sul e Cingapura, que tiveram resultados muito melhores do que em nações que submetem a testes apenas pessoas com sintomas graves e profissionais de saúde, como o Brasil está fazendo. O cronograma de testes e os procedimentos de isolamento dos casos suspeitos e confirmados ainda serão anunciados.

"Niterói será a primeira cidade do Brasil (a ter) uma testagem massiva e uma logística de quarentena. Vamos retirar as pessoas de seu local de moradia para evitar a propagação do coronavírus", afirmou o prefeito. "Nós estamos entrando em uma nova fase de combate dessa pandemia. Essa fase é a testagem massiva da população com sintomas respiratórios leves. Ou seja, não vamos ter mais o critério de testar apenas profissionais de saúde e pacientes internados. Vamos começar uma testagem massiva na nossa rede de saúde e em locais específicos para identificar mais rapidamente quem tem a presença do vírus", afirmou o secretário municipal de Saúde de Niterói, Rodrigo Oliveira, que também participou da live no Facebook.

"Na Coreia (do Sul, que faz a testagem em massa), a taxa de letalidade está em 1%; na Itália (que não faz), (em) 10%", comparou o secretário. O prefeito também anunciou que no sábado, dia 28, se confirmou que Niterói tem transmissão comunitária, estágio em que doença se espalha com maior facilidade.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.