WILTON JUNIOR/ESTADÃO
WILTON JUNIOR/ESTADÃO

Niterói interdita praias e ameaça com prisão quem desobedecer

Objetivo é evitar a propagação do coronavírus no município, onde uma pessoa morreu

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2020 | 20h35

RIO - As praias de Niterói, na Região Metropolitana do Rio, foram interditadas a partir desta quinta-feira (19), por ordem do prefeito Rodrigo Neves (PDT). O objetivo é evitar a propagação do coronavírus no município, onde até esta quinta-feira seis pessoas estão infectadas e uma morreu. A medida também proíbe o acesso às praças públicas e determina o fechamento de bares, restaurantes, shoppings centers, centros comerciais, clubes e quiosques de alimentação. Vigora até o dia 6 de abril – mas o prazo pode ser estendido conforme se desenrolar a pandemia de coronavírus.

 

Neste primeiro dia, a medida foi respeitada pela população – as praias permaneceram vazias. Havia pessoas se exercitando no calçadão da orla, mas elas foram abordadas por guardas municipais e policiais militares. Foram orientadas a deixar o local, já que também está proibido circular pelas vias de acesso à orla. Além da fiscalização feita pelos guardas e PMs, foram usadas fitas impedindo a circulação e instaladas placas alertando sobre a proibição.

Quem desobedecer as ordens prevista no Decreto Municipal 13.513 será acusado pelos crimes de desobediência e infração de medida sanitária preventiva. A primeira é punida com prisão de quinze dias a seis meses, além de multa. A segunda pode levar à prisão por um mês a um ano, além de multa. Comerciantes que não cumprirem as medidas estarão sujeitos a medidas como interdição e cancelamento do alvará de funcionamento.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.