Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Marcello Casal Jr./Agência Brasil

No Sistema Único de Saúde, Curitiba e Vitória têm atendimento remoto

Iniciativas na rede pública ainda são tímidas, mas também tiveram aumento na pandemia do coronavírus

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2020 | 05h00

Apesar de crescer em ritmo mais lento na rede pública do que na rede privada, a telemedicina também vem ganhando novas iniciativas no Sistema Único de Saúde (SUS) por causa do surto de coronavírus.

Uma delas é da prefeitura de Curitiba, que criou uma central de atendimento para a covid-19. Os cidadãos com dúvidas ou sintomas da doença são atendidos inicialmente por 92 voluntários, todos estudantes de Medicina, que dão orientações sobre a doença. Quando julgam necessário, encaminham o paciente para uma videoconsulta com um médico. Desde o dia 27 de março, quando o serviço passou a ser oferecido, já foram 13 mil ligações, das quais 112 foram encaminhadas para a consulta à distância.

A prefeitura de Vitória adotou estratégia parecida, com enfermeiros fazendo a triagem e encaminhando para médicos, que fazem triagem e monitoramento de casos suspeitos ou confirmados. Tanto os médicos quanto os enfermeiros são servidores da prefeitura que estão em home office por fazerem parte do grupo de risco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.