TV Estadão | 05.04.2016
TV Estadão | 05.04.2016

Noroeste paulista registra a 23ª morte pela gripe H1N1

Vítima, uma mulher de 65 anos, era moradora de Pindorama; outras 13 cidades da região registraram mortes pela doença

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

13 Abril 2016 | 19h13

SOROCABA - Subiu para 23 o número de pessoas mortas com vírus H1N1 na região noroeste do Estado de São Paulo, a primeira a registrar morte pela gripe este ano no Estado. A vítima, uma mulher de 65 anos, era moradora da cidade de Pindorama e estava internada no hospital Padre Albino, de Catanduva. O óbito ocorreu no fim de março, mas o resultado dos exames foi divulgado nesta quarta-feira, 13.

 

Outras 13 cidades da região registraram mortes pela H1N1 - São José do Rio Preto e General Salgado tiveram três óbitos cada. Há duas semanas, 67 cidades da região estão vacinando a população de risco contra a gripe. A vacinação foi antecipada pela Secretaria da Saúde do Estado por causa do grande número de casos graves da doença.

Outras regiões. A gripe causada pelo H1N1 avança também em outras regiões do interior do Estado. A Secretaria de Saúde de Campinas confirmou na terça-feira, 12, a primeira morte causada pela doença. A vítima, uma mulher de 51 anos, pode ter adquirido a gripe durante uma viagem de navio pela costa brasileira. Ela residia na região central da cidade. Campinas registrou nove casos de H1N1 este ano.

Em Paulínia, na mesma região, a morte de um menino de três anos, na terça-feira, pode ter sido causada pelo vírus. A criança sofria de problemas respiratórios e estava internada num hospital de Campinas. Em Caçapava, no Vale do Paraíba, um idoso morreu segunda-feira, 11, com suspeita de H1N1. A cidade já havia registrado este mês a morte suspeita de uma criança de dois anos.

Mais conteúdo sobre:
Gripe H1N1Saúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.