Nova droga ajuda a evitar rejeição em transplantes

Substância inibe a ação de célula do sistema imunológico qe desencadeia a rejeição ao órgão

estadao.com.br,

03 Fevereiro 2010 | 18h16

grupo de cientistas anunciou hoje que desenvolveu um novo medicamento que atua no sistema imunológico e evita a rejeição de órgãos transplantados.

 

Em um relatório publicado pela revista Science Translational Medicine, os pesquisadores franceses e americanos assinalaram que sua aplicação poderia ajudar a reduzir altos custos dos medicamentos de imunossupressão, que também costumam causar graves efeitos colaterais.

 

O tratamento de imunossupressão para impedir a rejeição do órgão transplantado deve ser aplicado durante toda a vida do receptor.

 

Células imunológicas chamadas células T controlam a rejeição ou aceitação de órgãos. Essas células são controladas por duas rotas, uma ativadora, chamada CD28, e outra supressora.

 

Ao bloquear a rota ativadora com um anticorpo específico para CD28, o pesquisador Nicolas Poirier e colegas conseguiram manter a rota inibidora intacta, levando o sistema imológico do receptor a uma posição neutra em relação ao órgão transplantado.

 

No estudo, foram realizados transplantes de coração e rim em um grupo de macacos. Cada animal recebeu doses de drogas imunossupressoras comuns com ou sem as drogas bloqueadoras de CD28. Eles descobriram que, três meses depois, a adição das drogas bloqueadoras evitava tanto rejeição aguda quanto crônica.

(com EFE)

Mais conteúdo sobre:
rejeição transplante science

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.