BBC/Reprodução
BBC/Reprodução

Nova tecnologia permite dissecar cadáver virtualmente

Mesa de operação digital é usada para ensino de medicina e tratamento de pacientes

BBC

24 de maio de 2012 | 10h57

Não há sangue, não há necessidade de bisturi ou outros instrumentos médicos, e depois ainda será possível colocar os órgãos de volta no corpo, reimplantar os ossos e vasos sanguíneos, e recolocar a pele.

 

Veja o vídeo:

Nova tecnologia permite dissecar cadáver virtualmente

O corpo em questão é uma realidade virtual, aparecendo em uma "mesa de operação" touchscreen. A tecnologia pode representar o futuro, tanto para o ensino de futuros médicos sobre anatomia quanto na preparação para operações reais.

 

Há nove meses, o Imperial College e o Saint Mary's Hospital, de Londres, compraram a mesa em parceria, a um custo de cerca de R$ 180 mil. É a primeira do tipo na Europa.

 

O aparelho tem o mesmo comprimento e tamanho de uma mesa de operação normal. O "cadáver" na tela, apelidado Melanie, é um corpo virtual criado a partir de uma combinação de gráficos e digitalizações reais do corpo.

 

Estudantes e cirurgiões podem interagir com o corpo, quer através do toque ou com um mouse tradicional. A pele pode ser removida para expor os órgãos internos, as áreas podem ser ampliadas para um estudo mais detalhado, e o software pode trabalhar com dados de pacientes reais.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.