Novo hormônio poderia tratar a obesidade, diz estudo

Novo hormônio poderia tratar a obesidade, diz estudo

De acordo com cientistas norte-americanos, o exercício estimula a produção do irisin, um hormônio que age sobre as células brancas do tecido adiposo e diminui riscos do ganho de peso

Estadão.com.br,

12 de janeiro de 2012 | 07h15

Cientistas americanos descobriram um hormônio responsável por parte dos benefícios da atividade física à saúde e que, no futuro, poderia ser utilizado para tratar problemas como a obesidade, mostra um estudo publicado na Nature.

A pesquisa, feita na Faculdade de Medicina de Harvard, mostrou que o exercício estimula a produção de um hormônio chamado irisin, que age sobre as células brancas do tecido adiposo.

Um estudo feito em ratos mostrou que o aumento dos níveis desse hormônio no sangue leva a um aumento do gasto energético total, sem mudar a quantidade de exercício ou a ingestão de comida.

Desse modo, os animais tiveram mais resistência à obesidade e ao diabetes, e tiveram mais esperança de vida.

As mudanças sugerem que irisin poderia ser o hormônio responsável nos humanos pelo benefício do exercício físico, principalmente aqueles relacionados ao gasto energético e resistência à obesidade.

Os autores acreditam que o hormônio poderia servir de tratamento injetável em casos de doenças metabólicas e outros distúrbios nos quais o exercício mostra uma melhora da doença.

Durante a pesquisa, os especialistas colocaram os animais para correr em uma roda durante três semanas e observaram que a concentração do hormônio no sangue subiu 65%.

Os cientistas detectaram os mesmos efeitos em várias amostras de músculos de pessoas, antes e depois de dez semanas de treinamento físico supervisionado, em que os níveis do hormônio duplicaram em comaparação com os encontrados em pessoas que não fizeram exercícios.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.