Secretaria de Estado da Saúde/Divulgação
Secretaria de Estado da Saúde/Divulgação

Novo secretário de SP quer parcerias, SUS reorganizado e combate ao álcool

Giovanni Guido Cerri promete 'cruzada' contra drogas e álcool, 'vetor de doenças e violência'

estadão.com.br

04 Janeiro 2011 | 17h01

SÃO PAULO - O novo secretário de Estado da Saúde de São Paulo, professor Giovanni Guido Cerri, tomou posse oficialmente nesta terça-feira, 4, com a proposta de formalizar parcerias, regionalizar ainda mais a saúde e combater as drogas, principalmente o consumo de álcool pelos jovens. Cerri substitui o médico Nilson Ferraz Paschoa.

Veja também:

linkAtendimento em tempo adequado será prioridade, diz novo ministro

Segundo o novo secretário, novas parcerias serão prioridade em sua gestão. Uma delas será com a Secretaria de Estado da Educação, que buscará alcançar os jovens na luta contra o álcool, além de outras campanhas preventivas, como o combate à dengue.

"Pretendemos fazer uma cruzada contra as drogas, principalmente contra o álcool, que é vetor de doenças e violência de várias naturezas, principalmente entre os jovens. Por isso, é importante estarmos na escola, atuantes, fortalecendo a educação e a promoção da saúde", afirmou o secretário.

Cerri pretende ainda estreitar a relação com as secretarias municipais de Saúde e com o ministério, para que a saúde pública seja distribuída regionalmente de maneira uniforme. A organização física e a informatização, segundo ele, vão fazer com que os equipamentos deixados pelas gestões anteriores sejam usados de maneira ampla.

O novo secretário também pretende reorganizar o Sistema Único de Saúde (SUS), com fluxos bem definidos entre os serviços, para que haja racionalidade no atendimento e evitar que casos simples sejam atendidos em hospitais especializados. Cerri destacou ainda a importância da humanização do atendimento nos hospitais e ambulatórios estaduais, como forma de acolher e orientar melhor os pacientes e seus familiares.

O gestor de Saúde de São Paulo discursou para 400 convidados por cerca de 30 minutos na manhã desta terça, no auditório da secretaria, na capital. Em suas palavras, reafirmou o discurso do governador Geraldo Alckmin de priorizar as pessoas com menos acessos aos equipamentos públicos.

"A saúde é apartidária e assim seremos na nossa gestão. Com austeridade e precisão cirúrgica, vamos conseguir", disse Cerri, que classificou seu mandato como "de continuidade".

Perfil

O novo secretário da Saúde de São Paulo é médico radiologista e professor titular da Faculdade de Medicina da USP. Nasceu em Milão, na Itália, em 9 de outubro de 1953. Criado na capital paulista, formou-se médico pela FMUSP em 1976.

Cerri foi diretor clínico do Hospital das Clínicas (HC) entre 1999 e 2002, e dirigiu a FMUSP de 2002 a 2006. Entre 2008 e 2010, dirigiu o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) Octavio Frias de Oliveira e presidiu os conselhos diretores do Icesp e do Instituto de Radiologia do HC.

O secretário também é membro do Conselho de Administração do Hospital Sírio-Libanês, do Conselho Consultivo das fundações da Faculdade de Medicina e Zerbini, e do Conselho Fiscal da Associação Médica Brasileira (ABM). Até 2009, presidiu a Federação Mundial de Sociedades de Ultrassom em Medicina e Biologia.

Cerri é autor de mais de 200 trabalhos publicados em revistas científicas nacionais e estrangeiras. Escreveu mais de 50 artigos veiculados em meios de comunicação, tem 22 livros publicados e mais de 30 prêmios, incluindo o Lafi de Ciências Médicas (1984). Em 2010, ganhou o Jabuti de Literatura na área de Ciências.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.