R?MULO MAGALHÃES/FUTURA PRESS
R?MULO MAGALHÃES/FUTURA PRESS

Número de casos suspeitos de coronavírus cresce 13% no Brasil e chega a 207

Em 24 horas, São Paulo teve um aumento de 37% no número de notificações; Estado, que teve segundo caso confirmado da doença, tem outros 91 suspeitos

Isabela Palhares e Sandra Manfrini, O Estado de S.Paulo

29 de fevereiro de 2020 | 19h44
Atualizado 29 de fevereiro de 2020 | 20h16

SÃO PAULO / BRASÍLIA - O Ministério da Saúde atualizou a base de dados com informações sobre o número de casos suspeitos e confirmados do novo coronavírus, o Covid-19, em todo o País. Depois da confirmação do segundo caso da doença em São Paulo, a Plataforma Integrada de Vigilância em Saúde foi atualizada e agora o País tem 207 casos suspeitos, dois confirmados e 79 descartados. 

Com isso, o número de casos suspeitos de infecção no Brasil aumentou 13% nas últimas 24 horas. Na sexta-feira, eram 182.

O Estado de São Paulo concentra quase a metade dos casos em investigação, são 91. O número de suspeitas de coronavírus no Estado cresceu 37% desde a sexta-feira, 28, quando havia 66 notificações.

Ainda segundo os dados do ministério, 79 casos já foram descartados

Depois de São Paulo, o Rio Grande do Sul é o Estado com maior número de casos suspeitos, 27 - mas o número se manteve estável nas últimas 24 horas. Em seguida, vem o Rio de Janeiro (19) e Minas Gerais (17).   O ministério destacou que os casos suspeitos do novo coronavírus só passarão a ser classificados dessa forma se a pessoa monitorada tiver febre, um sintoma a mais (como tosse e dificuldade respiratória) e tiver viajado para um dos 16 países em alerta nos últimos 14 dias. 

Na tarde deste sábado, o Ministério da Saúde informou que seguirá um novo fluxo de consolidação dos dados relativos aos casos de coronavírus no País, adotando integralmente os dados repassados pelas secretarias estaduais. Assim, haverá uma descentralização da consolidação dos casos, com o objetivo de dar agilidade de resposta à doença.

Antes, as notificações feitas pelos Estados eram reanalisadas pela equipe do Ministério da Saúde. Esses ajustes no novo fluxo dos dados estão sendo feitos neste final de semana. "A partir de agora as secretarias estaduais ficarão responsáveis por fazer a análise dos seus casos. Depois enviarão os dados mais refinados para o Ministério da Saúde", explicou o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, na nota.

Preocupação

Apesar do segundo caso confirmado e do aumento de casos suspeitos no Brasil, o Ministério da Saúde afirmou que ainda "não há evidências de circulação de vírus em território nacional" e que não há motivo para alarde

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), disse que não causa "desespero" a situação do novo coronavírus no Brasil. "Não, não. Longe disso". O governo federal afirma que o sistema de saúde nacional está preparado para atender a população, colher amostras e identificar o vírus. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.