Sebastian Kaulitzki/Shutterstock
Sebastian Kaulitzki/Shutterstock

Número de mortes por coronavírus chega a 132 na China; 5,9 mil pessoas já foram infectadas

Em um dia, óbitos pela doença na China cresceram 24%; no Brasil, três casos suspeitos são investigados

Da redação, O Estado de S.Paulo

28 de janeiro de 2020 | 21h36

O número de mortos pelo novo coronavírus na China chegou a 132, segundo informe divulgado na noite desta terça-feira, 28, pelo governo chinês. De acordo com o boletim, 5.974 já foram infectadas, a maioria na província de Hubei, onde fica Wuhan, epicentro do surto.

Em apenas um dia, o número de óbitos confirmados cresceu 24%, passando de 106 na segunda-feira para 132 nesta terça. O número de infectados, por sua vez, saltou 32% - no último balanço, eram 4.515 registros da infecção.

Além da China, 14 países já registraram casos de pneumonia pelo novo coronavírus. Em três deles (Alemanha, Japão e Vietnã), foram notificados registros em pessoas que não estiveram na China, o que indica transmissão local também fora do país asiático.

No Brasil, o Ministério da Saúde confirmou nesta terça-feira que investiga os primeiros três casos suspeitos da doença - em Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre. Os três pacientes estiveram na China recentemente e têm sintomas da doença, como febre, tosse e dificuldade para respirar.

Eles estão isolados aguardando o resultados dos exames que confirmarão ou não a infecção. Pessoas que tiveram contato com os pacientes também estão sendo monitoradas. As conclusões dos testes devem ser divulgadas até o fim da semana.

Diante dos casos suspeitos, o Ministério da Saúde elevou de 1 para 2 o nível de alerta no País (a escala vai até 3). Agora, o Brasil classifica a situação como perigo iminente de entrada do vírus no País. O nível 3 será declarado caso alguma infecção suspeita seja confirmada. Caso isso ocorra, o governo poderá declarar emergência em saúde pública.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.