Carlos Garcia Rawlins/Reuters
Carlos Garcia Rawlins/Reuters

Número de mortos pelo novo coronavírus chega a 304; total de infectados sobe para 14,3 mil

Do total de registros, mais de 2 mil são graves, segundo governo chinês; outros 23 países têm casos da doença

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

01 de fevereiro de 2020 | 22h17

O número de mortes pelo novo coronavírus subiu para 304, segundo boletim do governo chinês divulgado na noite deste sábado, 1°. O total de infectados na China já chega a 14.380, aumento de 22% em relação ao balanço do dia anterior, quando 11.791 mil casos estavam confirmados.

O governo chinês investiga ainda 19,5 mil casos suspeitos. Do total de casos confirmados, 2 mil são de quadros graves, segundo o boletim. Cerca de 163 mil contatos próximos dos infectados estão sendo monitorados. 

Além da China, 23 países, de quatro continentes, já reportaram casos da doença. De acordo com o último boletim da Organização Mundial da Saúde (OMS), 132 casos foram confirmados nessas nações.

Em várias delas, incluindo Estados Unidos, Japão e Alemanhã , a doença foi diagnosticada em cidadãos que nunca estiveram em território chinês, o que indica transmissão interna do vírus.

Diante do aumento do número de casos na China e do crescimento do total de países com infecções confirmadas, a OMS declarou emergência em saúde pública de interesse internacional na quinta-feira, 30. 

Com a decisão, a expectativa é a de que os países reúnam esforços financeiros, científicos e sanitários para barrar a expansão do novo coronavírus. Isso inclui acelerar as pesquisas para a descoberta de vacinas e tratamentos e maior apoio a países com sistemas de saúde mais frágeis.

No Brasil, não há casos confirmados da doença, mas o Ministério da Saúde investiga 16 infecções suspeitas, notificadas por cinco Estados: São Paulo (8), Rio Grande do Sul (4), Santa Catarina (2), Paraná (1) e Ceará (1).

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.