Número de mortos por Ebola na África chega a 932, afirma OMS

No total, 1,7 mil pessoas foram infectadas pelo vírus; organização confirmou que já são 9 casos na Nigéria, maior país do continente

Jamil Chade, Correspondente de O Estado de S. Paulo

06 Agosto 2014 | 11h52

GENEBRA - O número de vítimas do surto de Ebola na África se aproxima rapidamente dos 1000 casos e a Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que novos focos da doença tem sido identificados . Entre os dias 2 e 4 de abril, mais 108 pessoas foram infectadas, com 45 mortes. Os números elevam o total de vítimas fatais para 932, com 1,7 mil infectados na Guiné, na Libéria e na Serra Leoa. 

A OMS também confirmou a suspeita de que o número de pessoas contaminadas na Nigéria já chegue a nove. Maior país da África, a Nigéria era considerada como uma fronteira crítica para a doença e a proliferação de casos está causando apreensão entre os especialistas da OMS.

Há um dias, a entidade reuniu governos em Genebra para alertar que os parceiros e investidores estavam chegando a seus "limites na habilidade de responder de forma segura ao surto". Existem também preocupações sobre o impacto econômico nos países e sobre a transmissão de casos pelas fronteiras. 

Mas a entidade admitiu que, na Guiné, novos focos da doença surgiram nos últimos dias, o que exigirá uma ampliação da operação na região. Uma das possibilidades é a de se instalar medidores nos aeroportos para verificar cada passageiro que esteja embarcando. 

Já na Libéria, a OMS alerta que "a resistência da comunidade local" às medidas de saneamento" é elevada. Em Serra Leoa, a entidade tenta acelerar a criação de novos centros de atendimento. 

Na Nigéria, o governo tenta manter contato com todas as pessoas que tenham tido contato com as pessoas identificadas com o vírus. Mas a OMS alerta que um "apoio clínico urgente" ao governo de Abuja precisa ser garantido.  

Nesta quarta-feira, a OMS ainda começou a reunião com especialistas para determinar se o surto de Ebola é uma "emergência sanitária mundial". O resultado da avaliação será anunciado na sexta-feira, 8. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.