Nutricionistas dão dicas de alimentação saudável na CPTM

Os brasileiros, principalmente os que vivem nas Regiões Sul e Sudeste, estão cada vez mais gordos. Dados recentes divulgados pelo IBGE mostram bem essa tendência. Cerca 22% dos meninos entre 10 e 19 anos, que vivem nos três Estados do Sul, estão cima do peso. No Sudeste o índice é de 21,5%. Para os profissionais do Conselho Nacional de Nutrição, um dos caminhos para mudar esse quadro é a informação. "As pessoas ainda não conhecem os benefícios da alimentação balanceada", disse a professora de nutrição da USP Betina Brasil. Ontem, cerca de 130 nutricionistas e estudantes montaram tendas em seis estações da CPTM para conversar com os paulistanos e dar dicas de como ter uma alimentação saudável. Primeiro, calculavam o Índice de Massa Corpórea (IMC) - um número que indica o grau de obesidade. Depois, dependendo do resultado, vinham as instruções. A escritora Lucy Silva, que passou ontem à tarde pelo terminal rodoviário Barra Funda, pensou duas vezes antes de tirar o calçado para subir na balança. Sabia que a notícia não seria das melhores. Lucy, de 47 anos, parou de fumar em 2002 e engordou nada menos que 15 quilos. Trocou o cigarro por comida. Hoje está com 1,66 metro e 76 quilos. IMC: 27,5. O ideal seria que o índice estivesse abaixo de 25. Para atingir um peso normal, as nutricionistas aconselharam a escritora a praticar exercício físico e fazer cinco refeições diárias. "A dica é comer mais vezes e em quantidades menores", comentou uma das instrutoras. Evitar refrigerante, frituras e doces, também é fundamental para que ela não chegue a um quadro mais grave de obesidade. "O difícil agora é pôr em prática", disse Lucy. O Cálculo do IMC - A promotora de eventos Érica Santos mede 1,74 metro e pesa 60 quilos. Para chegar ao índice, ela multiplicou 1,74 por 1,74 e obteve 3,02. Depois, dividiu 60 por 3,02 e encontrou o IMC: 19,8. Se o resultado fosse abaixo de 16, Érica estaria subnutrida; entre 16 e 18,4 seria considerada magra; entre 25 e 34,9, obesa; acima de 40, obesa mórbida. Como o índice ficou entre 18,5 e 24,9, o peso dela é normal.

Agencia Estado,

29 de agosto de 2006 | 10h16

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.