Nuvem de cinza não causa até agora prejuízo à saúde, diz OMS

Apenas pessoas na proximidade do vulcão ou com problemas crônicos devem tomar precauções

EFE

20 Abril 2010 | 09h11

GENEBRA - A nuvem de cinzas vulcânicas expelida na Islândia "não causa por enquanto efeito sobre a saúde" exceto para as pessoas que estão próximas ao vulcão, afirmou nesta terça-feira, 20, o médico Carlos Dora, especialista em Epidemiologia e Meio Ambiente da Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

Só na proximidade do vulcão devem ser tomadas precauções como usar máscaras, acrescentou o médico em entrevista coletiva.

 

Afirmou ainda que, de acordo com as medições feitas, "não foi detectado nenhum aumento da poluição do ar devido à nuvem".

 

Os analistas continuam acompanhando as partículas desta nuvem, suspensas no ar, que podem ser menos nocivas que as emitidas pela combustão de combustíveis para veículos ou fábricas.

 

No caso de a nuvem descer até o solo, só poderia trazer risco à saúde se "aumentar a concentração das partículas, duas ou três vezes superior ao normal de contaminação", disse.

 

Só nesse caso "emitiríamos recomendações para as pessoas com asma, outros problemas respiratórios ou cardíacos", disse Dora.

Mais conteúdo sobre:
vulcão Islândia cinzas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.