O diálogo que pode fazer a diferença

Uma comédia romântica em cartaz em São Paulo levou para o palco a realidade da doação de órgãos no País. Beneficiado por um coração doado, o casal de atores Norton e Kely Nascimento criou o texto Adão e Eva - O Clássico para falar da necessidade de diálogo entre os parceiros, até mesmo em questões como uma eventual doação de órgãos. Pela lei, quem quer doar deve informar a família.

Fabiane Leite, de O Estado de São Paulo,

26 Setembro 2009 | 04h14

 

 

Por amor - Cena da peça 'Adão e Eva'

 

 

Norton, que atuou em novelas e minisséries globais e no teatro, morreu em 2007 vítima de hepatite causada por medicamentos. "A doação me fez viver mais quatro anos com o homem da minha vida. As pessoas não deixam de doar porque não querem, mas sim por falta de informação", diz Kely. O texto parte da história bíblica da doação da costela de Adão à Eva para chegar ao casamento. "É importante ceder nas discussões e na hora da dor. Se amo, vou fazer o que ele me pediu que fizesse antes de morrer." A peça está no Teatro Ressurreição (0xx11 5016-1787).

 

Mais conteúdo sobre:
transplantepeçadoadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.