Freepik
Freepik

O quanto de dor é normal sentir durante a cólica menstrual?

De acordo com a ginecologista Mariana Rosário, o excesso de incômodo pode esconder outros problemas

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de janeiro de 2022 | 05h00

No Pergunte ao Especialista desta semana, vamos falar sobre cólica menstrual. Tem uma dúvida? Escreva para ana.lourenco@estadao.com ou para o Instagram @bemestarestadao

Quando sabemos que algo está errado com a cólica menstrual? O quanto é normal doer?

Yasmin Guimarães, Araçatuba

Responde Dra. Mariana Rosário, ginecologista

A cólica é resultante da contração uterina para expulsar o sangue que está dentro do útero, então essa dor não pode ser nada de muito absurdo. O aceitável é uma cólica na qual no máximo a paciente tome uma medicação e já melhore. Se for uma dor que seja incapacitante é motivo para procurar ajuda, porque isso pode esconder outros problemas, como miomatose uterina ou endometriose. Pacientes que têm ovário policístico ficam períodos sem menstruar e pode ser que quando o fluxo venha, ele seja mais intenso, assim como a dor.

Atente-se para o período da dor. O normal é sentir a cólica durante o sangramento, principalmente nos dias mais intensos (segundo ou terceiro). Para melhorar a cólica, além das compressas e bolsas com água quente, óleos essenciais (indico hortelã e camomila) e chás que trazem um conforto maior para a região abdominal, podemos melhorar a alimentação. Para isso, é bom diminuir o consumo de alimentos mais inflamatórios, como glúten, lactose, e o consumo de açúcar, apesar de ser o período que a gente mais quer comer doce.

Às vezes, praticar exercício físico também ajuda. O mais indicado é o que a paciente mais gosta: uma corridinha mais leve, alguma coisa mais tranquila, como uma bicicleta, pilates. O sentido é liberar serotonina, que melhora qualquer tipo de dor.

Tudo o que sabemos sobre:
dorginecologiamenstruação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.