Nathalia Molina/@ComoViaja
Nathalia Molina/@ComoViaja

O sabor de relaxar na viagem e de degustar os cuidados de um hotel

Experiências de bem-estar, com gastronomia e tratamentos para o corpo, às vezes podem ser a melhor programação

Nathalia Molina, Especial para o Estadão

05 de março de 2022 | 05h00

Pedras quentes deslizam deliciosamente pelas minhas costas, banhadas por óleo de lavanda. Enquanto me massageia, Christine Lévesque me conta da saudade de suas incursões pelo mundo antes da pandemia, incluindo uma ida ao Brasil inspirada pelo namorado da filha, capoeirista baiano. Mais uma suave pressão nas mãos, nos pés, uns toques na cabeça, e histórias de viajantes que a terapeuta conheceu ali no Moment Spa de Montréal e em Mont Tremblant, nos períodos em que trabalha no destino de neve mais famoso de Québec.

A massagem está boa, o papo com Christine, também, mas o inverno me aguarda lá fora. Faz 25 graus negativos no leste do Canadá. Tomo o elevador até minha acomodação no 20º andar do Fairmont Le Reine Elizabeth. Os 950 quartos do hotel de luxo, colado à estação central de trens da maior cidade do Canadá francês, foram renovados dois anos antes da pandemia. Ganharam uma decoração moderna com um certo ar retrô dos anos 1960.

O amplo e alvo banheiro da suíte Large Signature em si parece um spa, com banheira e duchas multidirecionais. As embalagens de Rose 31 – fragrância da nova iorquina Le Labo usada nas amenities dos hotéis Fairmont – estão personalizadas com meu nome. Me parece um convite expresso. Pensando bem, as ruas do centre-ville de Montréal podem esperar um pouco mais.

“A tendência é que essa hotelaria lifestyle se transforme na hotelaria padrão. O hóspede cada vez mais deseja viver essa super experiência num hotel, ter opções de entretenimento, de alta gastronomia”, afirma Carolina Sass de Haro, sócia da Mapie, consultoria especializada em hospitalidade e turismo. A busca por bem-estar transborda para o turismo em 2022 de forma efetiva, aponta ela. “As viagens de lazer podem ser oportunidades para relaxar, descansar, e esse é o principal motivo pelo qual o brasileiro viaja.”

Já viajei muito para só ver destinos, e ainda me encanto com as ruas. Com o tempo, no entanto, vi que as histórias estão em todo canto, como na sala de tratamento do Moment Spa, e que degustar dias de cuidado num hotel às vezes pode ser a melhor programação.

No outro lado do Canadá, aromaterapia, esfoliação e massagem em pontos energéticos são combinados nas sessões do Willow Stream Spa (desde 219 dólares canadenses) do Fairmont Banff Springs, erguido durante a construção da ferrovia, na expansão para o oeste do país. Difícil dizer se é melhor o tratamento ou o tempo depois na área molhada, com três cascatas em temperaturas diferentes, saunas seca e a vapor e piscina aquecida, além de jacuzzi ao ar livre.

Fácil afirmar, com conhecimento de causa, que melhor mesmo é tudo isso somando ao icônico chá da tarde do Banff Springs. O requintado hotel, um marco de 1883, acaba de lançar o menu Real, a 400 dólares canadenses por pessoa. Não experimentei o foie gras torchon ou o bolo ópera com folha de ouro de agora, mas achei memoráveis o sanduíche de frango entre fatias de pão de tomate e pão de champanhe e o choux com pistache e creme de maracujá. Ambos estão no menu Canadian, que provei, acompanhado pelo chá de frutas vermelhas Flora’s Berry Garden, um dos blends da Lot 35, marca de chás exclusiva da rede hoteleira.

Em Banff ou na vizinha Lake Louise, a 60 km, o complemento mais indicado para qualquer atividade (gastronômica ou não) é o visual da natureza. Os dois lugares servem de ponto de partida para explorar o Banff National Park, maior parque administrado pelo governo canadense, com 6.641 km².

No Fairmont Château Lake Louise, desde o fim de 2021, as águas da geleira estão engarrafadas para degustação no Untamed, primeiro uísque envelhecido feito num parque nacional canadense. A criação de Nils Schabert, mixologista da marca Fairmont no oeste do país, tem a parceria da Park Distillery, de Banff. Pode ser provada pura ou em três drinques servidos no hotel, no Fairview Bar, de onde se veem o lago esmeralda e as montanhas através de amplas janelas.

Durante o inverno, a paisagem congela e ganha um castelinho transparente à beira da pista de patinação, perto do bar de gelo. É do Walliser Stube, com jeito de pub alpino, que outro ângulo da mesma cena pode ser apreciado. Com um saboroso adendo: a degustação de fondue harmonizada com vinho. Como de costume, queijo abre e chocolate fecha. Mas atenção aos detalhes: há uma interessante opção de queijo com lagosta (ao estilo das províncias marítimas do Canadá, conhecidas produtoras do crustáceo) e a sobremesa é elaborada com um ingrediente especial, Toblerone.

Experiências em hotéis do Brasil

Experiências de bem-estar em hotéis também seguem em ascensão no Brasil, com novos produtos e serviços sendo constantemente criados. “Acredito que passado o pior da crise, os hotéis começaram a voltar a prestar atenção em tendências. A hotelaria de negócios ainda está um pouco mais atrasada neste sentido, mas a hotelaria de lazer nacional correu atrás na pandemia e começou a oferecer um leque de experiências conectadas ao bem-estar de forma mais ampla”, afirma Carolina, da Mapie.

A especialista em hotelaria exemplifica com duas oportunidades de juntar viagem com produtos locais, em propostas envoltas pela atmosfera do Sul do País: “O Wood Hotel de Gramado tem uma experiência gastronômica incrível assinada pelo chef Rodrigo Bellora, que conta com insumos regionais e há fotos dos produtores expostas nos restaurantes. A Pousada Fazenda Bom Retiro da Vinícola Thera, na Serra Catarinense, oferece um piquenique no pôr do sol com vinhos da vinícola e vista para charmosos vinhedos”.

Rio Quente Resorts, em Goiás, e Costa do Sauípe, na Bahia, realizam o festival Bem Estar de 7 a 31 de março, com aulas de ioga, oficinas de artesanato e de culinária, meditação e passeios de bike. Em São Paulo, o Grand Hyatt montou um pacote de fim de semana para este mês com aula de superioga, derivada da Hatha Yoga, com o objetivo de desenvolver força e condicionamento físico. O hóspede tem acesso ainda a um mês nos Studios Superioga e a 15 dias no fitness center do Amanary Spa no hotel.

Para fãs de spa, a marca francesa L’Occitane mantém 19 unidades em hotéis no Brasil. No Estado de São Paulo, por exemplo, há opções no litoral, como o Nau Royal (Camburi, São Sebastião), e nas montanhas, por exemplo, a Pousada Quinta dos Pinhais (Santo Antônio do Pinhal). Quem viaja para o Nordeste pode aproveitar os tratamentos corporais e faciais do Spa by L’Occitane no romântico resort Nannai (Porto de Galinhas) e no charmoso Kûara (Arraial D’Ajuda).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.