Obama liga para Calderón e discute combate à gripe suína

Presidentes compartilham informações sobre medidas e Calderón agradece a Obama por não fechar fronteira

Efe,

02 Maio 2009 | 20h38

O presidente do Estados Unidos, Barack Obama, conversou neste sábado, 2, por telefone com seu colega mexicano, Felipe Calderón, para tratar das medidas tomadas por ambos os governos para conter a epidemia de gripe suína e destacar a importância da cooperação bilateral.

 

Veja também:

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde 

 

Segundo a Casa Branca, Obama e Calderón falaram durante 20 minutos, com o objetivo de "compartilhar informação sobre os esforços para limitar a propagação do novo vírus e falar sobre a importância da cooperação entre EUA e México".

 

A ligação telefônica aconteceu após o México divulgar neste sábado novos dados apontando que a propagação da gripe suína no país pode ser menor do que as autoridades temiam. O governo mexicano mantém um "otimismo moderado" após confirmar que nas últimas horas o número de mortos (16) não aumentou em nível nacional.

 

Os Estados Unidos são o único outro país onde uma morte foi comprovadamente causada pela gripe suína, mesmo assim, de um mexicano - um menino de dois anos que morreu no Estado de Texas, que faz fronteira com o México.

 

Calderón agradeceu hoje ao seu colega americano por não ter fechado a fronteira com seu país ao trânsito de pessoas e mercadorias, assim como pelo apoio para enfrentar a epidemia de

gripe suína.

 

O México já confirmou 427 casos da doença e os Estados Unidos, 160. Além do não fechamento da fronteira, Calderón agradeceu a Obama por doar caixas do remédio antiviral Tamiflu, "que demonstrou sua efetividade na recuperação dos pacientes contagiados por este

Vírus".

 

Obama afirmou que seu governo continuará acompanhando o desenvolvimento da epidemia e reiterou sua disposição a apoiar o México em tudo o que for possível.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.