Obesas com câncer de mama morrem mais cedo, diz estudo

Segundo pesquisador, 'tecido adiposo pode aumentar a inflamação o que deixa a doença mais agressiva'

Reuters,

14 de março de 2008 | 18h54

Pacientes com câncer de mama que apresentam excesso de peso têm a forma da doença mais agressiva e estão suscetíveis a morrer mais cedo, segundo relatou pesquisadores norte-americanos nesta sexta-feira, 14. Um perigoso tipo de câncer de mama, conhecido como câncer inflamatório da mama, foi observado em mais de 45% dos pacientes obesos, em comparação com 30% dos pacientes um pouco acima do peso e 15% dos doentes de peso saudável.  "Quanto mais obeso é um paciente, mais agressivo o tipo da doença", disse o médico Massimo Cristofanilli, do Centro Andersen de Câncer da Universidade do Texas, que liderou o estudo. "Estamos aprendendo que o tecido adiposo pode aumentar a inflamação o que deixa a doença mais agressiva."  Numa matéria publicada na revista Clinical Cancer Research, Cristofanilli e seus colegas disseram que estudo foi realizado com 606 mulheres que tiveram a propagação do câncer no interior da mama.  Eles classificaram a doença de acordo com o índice de massa corporal, ou IMC, uma medida de obesidade globalmente aceita. Pessoas com IMC abaixo de 25 são consideradas normais, enquanto de 25 a 29 marca o sobrepeso e acima de 30 são consideradas clinicamente obesas.  Após cinco anos, 56,8% das mulheres obesas e 56,3% das mulheres com sobrepeso continuaram vivas. Já entre as mulheres com peso normal, 67,4%tinham sobrevivido. Mais de 56% das mulheres de peso normal sobreviveu 10 anos, comparado com 42,7% de mulheres obesas e 41,8% das mulheres com sobrepeso.  "A obesidade vai além da aparência ou de danos físicos pelo excesso de peso. Deve-se prestar atenção particular nos pacientes acima do peso", afirmou Cristofanilli.  Muitos estudos têm mostrado que as obesas têm um risco maior de adquirir vários tipos de câncer. No mês passado, pesquisadores britânicos relataram na revista médica Lanct que a obesidade pode duplicar o risco de leucemia, o mieloma múltiplo, câncer na tiróide, no cólon e nos rins.  Células de gordura produzem uma série de hormônios que poderia gerar combustível para o câncer, segundo os pesquisadores.

Tudo o que sabemos sobre:
Câncer de mamaobesos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.