Obeso não pode receber injeção letal, dizem advogados

Condenado mede 1,7 metro e pesa 121 kg; advogados dizem que carrascos terão dificuldade em achar veia

AP,

25 de agosto de 2008 | 15h47

Um homem obeso condenado à morte diz que é gordo demais para ser executado, e seus advogados alegam que ele foi mal assessorado durante o julgamento e a apelação do caso.   Esta é a segunda vez que Richard Cooey, condenado por matar dois estudantes universitários em 1986, pede misericórdia ao Estado de Ohio (EUA). Em um processo judicial apresentado no início do mês, seus advogados alegam que os carrascos terão dificuldades em encontrar as veias de Cooey, e que seu peso poderá reduzir a eficácia das drogas da injeção letal.   Cooey mede 1,7 metro e pesa 121 kg.   Os advogados que cuidam atualmente do caso disseram que o advogado original de seu cliente não apresentou corretamente a evidência dos espancamentos que seu cliente havia sofrido na infância e dos problemas causados pelo alcoolismo.   Cooey sente remorsos, disse o advogado Dana Cole à comissão que recomendará ao governador  Ted Strickland poupar ou não  vida do assassino. O governador é livre para acatar ou ignorar a decisão do comitê. A execução está marcada para 14 de outubro.

Tudo o que sabemos sobre:
richard cooeypena de morteobesidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.