OMS alerta para crescimento da tuberculose resistente

Taxas da bactéria resistente chegam a alarmantes 20% em algumas partes do mundo

Maria Cheng, da AP,

26 de fevereiro de 2008 | 16h14

A tuberculose resistente a drogas está se espalhando mais rápido do que os especialistas previam, de acordo com um novo relatório divulgado nessa terça-feira, 26, pela Organização Mundial da Saúde (OMS).  Taxas da bactéria resistente a drogas chegam a 20% em alguns países, as maiores já encontradas. "Há dez anos, seria impensável ver taxa como essas," disse Mario Raviglione, diretor do departamento para controle da tuberculose da OMS. "Isso demonstra o que acontece quando se cometem muitos erros no tratamento da tuberculose."  Veja também: Relatório completo da OMS (em inglês)  Apesar de o relatório ser o maior já feito sobre tuberculose resistente a antibióticos, baseando-se em informações coletadas entre 2002 e 2006, ainda há grandes falhas: os números só estão disponíveis para metade dos países do mundo.  Na África, onde especialistas estão particularmente preocupados com a combinação letal entre as pandemias de Aids e tuberculose, apenas seis países forneceram informações.  "Nós não sabemos exatamente qual a situação da África," Raviglione disse. "Se a tuberculose resistente a diversos antibióticos já tiver penetrado na África, e coincidir com a Aids, haverá um grande desastre." Raviglione disse que é provável que pacientes - e mesmo surtos - não estejam sendo identificados. Especialistas estão preocupados, também, com a dispersão de XDR-TB, sigla em inglês para tuberculose altamente resistente a drogas, uma variedade letal cujo tratamento é extremamente difícil em países pobres. Quando um surto foi identificado em pacientes portadores do vírus da Aids na África do Sul em 2006, ele matou praticamente todos os infectados em poucas semanas. De acordo com o relatório, o XDR-TB agora se encontra em 45 países. No mundo, surgem aproximadamente 500.000 novos casos de tuberculose resistente cada ano, perto de 5% dos 9 milhões de novos casos de tuberculose. As mais altas taxas de resistência da bactéria são encontradas no leste europeu. Quase um quarto de todos os casos de tuberculose em Baku, Azerbaijão, são resistentes a drogas, seguido dos aproximadamente 20% dos casos em Moldova e 16% em Donetsk, Ucrânia.  Altas taxas de resistência foram também encontradas na China e na Índia, países que, juntos, representam metade do problema mundial.  Algumas autoridades disseram que esses novos números são provavelmente um valor subestimado do problema, pois alguns governos simplesmente não reportaram suas situações.  O tipo resistente da tuberculose aparece quando o tratamento primário da doença é fraco. Países com programas de tratamento fortes deveriam, teoricamente, ter baixas taxas da bateria resistente.  Esse não é o caso da China, entretanto, onde o governo reporta 94% de tratamentos completos.  "Há uma enorme discrepância se eles estão também reportando 25% de toda a variedade resistente a drogas no mundo," disse Mark Harrington, executivo diretor do Treatment Action Group, um órgão de pesquisa em saúde pública. "Eles estão claramente nutrindo uma epidemia da bactéria resistente e falhando em reportar qualquer XDR-TB."  Com os números crescentes de pacientes infectados pela variedade resistente, há uma preocupação que sistemas de saúde sejam sobrecarregados.  "Estamos totalmente fora dos trilhos agora," disse Tido von Schoen-Angerer, diretor-executivo da campanha dos Médicos Sem Fronteiras para o acesso à assistência médica essencial. No último ano, somente 30.000 pacientes portadores da variedade resistente foram tratados.  "A resposta, até agora, foi completamente insuficiente e nós vamos continuar a ter números crescentes até que o mundo acorde para essa emergência," disse von Schoen-Angerer.  Para refrear o surto, especialistas disseram que novos testes de diagnóstico são necessários para identificar a variante resistente da bactéria mais rapidamente - testes atuais levam cerca de um mês - assim como novos medicamentos.  A OMS disse que novos diagnósticos capazes de dar resultados em um dia estão sendo testados no Sul da África e Lesoto. Se bem sucedidos, o novo tipo de diagnóstico poderia ser implantado na África em poucos meses, embora novos laboratórios sejam necessários para fazer os testes.  Especialistas têm esperança que o relatório estimule governos e doadores a agir. "Tuberculose resistente é uma ameaça para cada uma das pessoas do planeta," disse Harrington. "Não é como HIV que só contamina através de ações específicas," afirmou. "A tuberculose é uma ameaça para qualquer um que ande de trem ou avião", pois é transmitida pela dispersão de gotículas de saliva no ar.

Tudo o que sabemos sobre:
tuberculoseOMSepidemia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.