OMS alerta para possível transmissão de H5N1 entre homens

Na China, pai é diagnosticado com gripe aviária dias após seu filho morrer pela mesma doença

BBC,

07 de dezembro de 2007 | 18h15

O pai de um chinês que morreu de gripe aviária na semana passada também foi infectado, fato que aumenta o temor de que o vírus possa ser transmitido entre humanos. A Organização Mundial de Saúde (OMS) informou que não descarta a possibilidade de que o H5N1 (nome científico do vírus) tenha sido transmitido do filho para o pai.   A maioria dos doentes de gripe aviária, porém, ficou doente após manter contato direto com aves doentes ou com detritos desses pássaros.   Cientistas temem que o vírus sofra uma mutação e passe a ser transmitido direta e facilmente entre humanos, o que poderia causar a morte de milhões de pessoas em todo o mundo.   Um comunicado do Ministério da Saúde chinês informa que um homem de 52 anos, morador da província de Jiangsu, no leste do país, foi diagnosticado com o vírus dias após seu filho ter morrido por causa da doença.   O porta-voz da OMS, John Rainford, afirmou que o organismo está preocupado. O fato de haver dois casos, na mesma família, da doença numa região onde não foram identificadas aves doentes "significa que devemos fazer uma investigação minuciosa", completou Rainford.   O pai começou a apresentar sintomas da gripe na segunda-feira, e foi diagnosticado na quarta. Desde então, vem sendo monitorado em um hospital.   Há ainda a possibilidade de ambos terem sido infectados pela mesma fonte. Cada um, porém, pode ter sido infectado separadamente por diferentes fontes.   Desde que o H5N1 surgiu, no leste da Ásia no final de 2003, a doença matou cerca de 200 pessoas em diferentes partes do mundo. A Indonésia foi o país mais atingido, com mais de 90 mortos. Dos 26 casos confirmados na China, 17 foram fatais.   Suspeitas de transmissão entre humanos foram reportadas em Hong Kong, Vietnã e Indonésia, mas nenhum desses casos foi comprovado.

Tudo o que sabemos sobre:
Gripe aviáriaH5N1

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.