Sascha Steinbach/EFE/EPA
Sascha Steinbach/EFE/EPA

OMS alerta que volta às aulas só pode ocorrer com rastreamento de contatos

Para a entidade, identificação e isolamento de casos suspeitos é fundamental para que retorno às atividades não piore a transmissão do novo coronavírus

Mílibi Arruda, O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2020 | 12h27

O diretor de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Michael Ryan, alertou nesta quarta-feira, 19, que é necessário implementar uma política de rastreamento e isolamento de infectados pela covid-19 e pessoas que estiveram em contato com esses para o retorno ao ensino presencial e a outras atividades.

“Se queremos a volta às escolas, se queremos que as sociedades voltem ao normal, precisamos pôr um foco maior em identificar e testar casos suspeitos, identificar todos que tiveram contato com esse caso e pedir que se isolem em quarentena por 14 dias”, afirmou durante live para responder dúvidas do público.

O diretor acrescentou que o bom funcionamento dessas medidas é um pilar central para o controle da transmissão do novo coronavírus e que, mundialmente, esse sistema não tem recebido comprometimento e investimentos suficientes dos governos.

Paralelamente a isso, segundo ele, a falta de colaboração de parte dos cidadãos em agir de acordo com as recomendações causa aumento na taxa de infecção da doença. “Vigilância ruim e rastreamento de contatos mal feito junto com participação imperfeita da comunidade na redução de riscos é uma mistura muito, muito perigosa”, disse Ryan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.