OMS aprova uso de remédios preventivos contra o HIV

A Organização Mundial da Saúde deu aval ao uso de medicamentos contra o HIV entre pessoas que estejam em situação de alto risco para contrair o vírus, e sugeriu que países ricos e pobres criem projetos-pilotos para entender melhor os benefícios disso.

Reuters

20 Julho 2012 | 20h05

A agência da ONU fez essa sugestão na sexta-feira, quatro dias depois de autoridades reguladoras dos EUA aprovarem o uso do medicamento Truvada, do laboratório Gilead Sciences, em pessoas não contaminadas que mantenham relações sexuais com soropositivos. O conceito é conhecido como "profilaxia pré-exposição".

O Truvada, que combina em um só comprimido os medicamentos tenofovir e emtricitabine, já é amplamente usado no tratamento de pessoas contaminadas pelo vírus da Aids. O remédio, que custa quase 14 mil dólares por ano nos EUA, é o primeiro tratamento preventivo a ser aprovado.

"A OMS está estimulando os países que desejem introduzir a profilaxia pré-exposição a estabelecerem inicialmente projetos pequenos para ajudarem profissionais de saúde pública a entenderem melhor e perceberem todos os benefícios potenciais", disse a agência em nota.

Sarah Russell, porta-voz da OMS, disse que a agência não pode recomendar drogas específicas para a prevenção, mas acrescentou: "Precisa ser uma droga como o Truvada, que tenha sido desenvolvida para fins preventivos."

A OMS disse ser importante que as pessoas que usem a profilaxia não sejam soropositivas, porque do contrário formas do HIV resistentes à medicação podem se desenvolver. A agência disse que essas pessoas também devem continuar usando preservativos e tomando fielmente os seus medicamentos todos os dias.

(Reportagem de Ransdell Pierson)

Mais conteúdo sobre:
CIENCIAOMSAIDS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.