OMS confirma mais de 2.000 mortes por cólera em Angola

Mais de 2.000 pessoas já morreram por causa de um surto de cólera que há cinco meses afeta Angola, informou hoje a Organização Mundial de Saúde (OMS). De acordo com a agência de saúde da Organização das Nações Unidas (ONU), 2.089 pessoas perderam a vida por causa da doença no país até domingo. O surto de cólera começou em Luanda, a capital angolana, e espalhou-se por 15 das 18 províncias do país ao longo dos últimos cinco meses. De acordo com autoridades sanitárias locais, mais de 50.000 casos foram diagnosticados no período. O cólera é transmitido por meio de água contaminada e está relacionado a condições precárias de higiene, à superpopulação e à falta de sistemas adequados de saneamento. A doença pode ser tratada com relativa facilidade, mas provoca muitas mortes em países em desenvolvimento. A infra-estrutura pública de Angola, especialmente seu sistema de saúde, foi amplamente deteriorada durante duas décadas de uma guerra civil encerrada em 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.