WHO/P. Virot
WHO/P. Virot

OMS desmente teoria da conspiração de que o coronavírus saiu de laboratório

'Devemos nos concentrar nos fatos e não no medo', disse porta-voz da Organização Mundial da Saúde

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2020 | 10h32

GENEBRA - A Organização Mundial da Saúde (OMS) negou nesta terça-feira, 21, uma das informações falsas mais amplamente divulgadas nos últimos dias sobre a pandemia do novo coronavírus, esclarecendo que o patógeno é de origem animal e não vem de nenhum laboratório. 

"Todas as evidências que temos sugerem que o vírus teve origem animal e não sofreu manipulação genética", esclareceu a porta-voz da organização, Fadela Chaib. "Muitos pesquisadores conseguiram analisar as características genéticas do vírus e não encontraram indicações para apoiar a ideia de que o vírus tenha sido construído em laboratório", afirmou à agência Efe.

"Nós não apenas combatemos a pandemia todos os dias, mas também (lutamos) contra o a infodemia", disse a porta-voz, uma das gerentes de comunicação da OMS na sede global em Genebra, na Suíça. "Existem muitos especialistas trabalhando na origem do vírus, ainda não sabemos a fonte inicial. Tudo aponta para sua origem animal (e para) que não tenha sido manipulado nem construído em laboratório ou em outro lugar. Esta é a posição da OMS como um organização baseada na ciência ", insistiu Chaib.

Sobre como o coronavírus atravessou saiu de uma espécie animal para o ser humano, Chaib afirmou que as investigações continuam. "Devemos nos concentrar nos fatos e não no medo. Parte das falsidades que aparecem nas plataformas sociais têm a ver com teorias espurias".

Desde o início da pandemia, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, recomendou várias vezes o combate à desinformação, um trabalho no qual as autoridades nacionais têm papel fundamental. / EFE

Para Entender

O que é e para que serve a Organização Mundial da Saúde (OMS)

OMS cria os padrões mais importantes da área da saúde; caráter mais importante é técnico-científico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.