Efe
Efe

OMS deverá confirmar que o pior da pandemia já passou

Organização diz que novos surtos da gripe A poderão surgir e que fim da pandemia ainda não está próximo

Efe,

11 Fevereiro 2010 | 14h43

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou nesta quinta-feira, 11, que um de seus grupos de analistas se reunirá na última semana de fevereiro para confirmar que a pandemia de gripe A entrou em uma fase de "transição" e que "o pior já passou".

 

Veja também:

linkComitê científico defende OMS em polêmica sobre vacinação

linkDiretor da OMS admite que resposta à gripe A 'não foi perfeita'  

 

O responsável pela estratégia contra a gripe A na OMS, Keiji Fukuda, explicou que acredita que a fase mais severa da pandemia pode já ter sido superada e que agora está em um período de transição em direção a "atividade regular de gripe estacional".

 

Neste palco, alguns países registrarão no futuro "níveis baixos" de contágio, enquanto outros poderão surgir novos surtos, embora leves, sustentou o cientista, quem esclareceu que isto não significará ainda o fim da declaração de pandemia.

 

A decisão de entrar formalmente nesse "período de transição" deverá ser tomada pela diretora geral da OMS, Margaret Chan, em função da recomendação dos membros do "comitê de emergência" de seu organismo, e espera-se que possam reunir-se no final de fevereiro, declarou Fukuda em uma teleconferência de imprensa.

 

Sobre a evolução da pandemia, detalhou que no mundo se observa uma tendência em direção à redução dos contágios, embora haja registros de novas zonas de atividade da gripe A, particularmente no oeste da África, onde até agora existiam muito poucos casos. As mortes se mantêm o mesmo nível da semana passada, indicou.

 

De outra parte, Fukuda anunciou que outro grupo de analistas da OMS se reunirá na próxima semana em Genebra para estabelecer as recomendações aos laboratórios com relação à fabricação da vacina contra a gripe para a próxima temporada no hemisfério norte. Lembrou que o vírus AH1N1 da gripe foi o mais estendido em quase todo o mundo desde que se detectou pela primeira vez em abril passado na América do Norte.

 

Esse vírus pandêmico não dá sinais que vá desaparecer e é provável que circule por um bom tempo. Por essa razão, os cientistas recomendarão provavelmente aos produtores de vacinas incorporarem às cepas das gripes A e estacional (estas últimas não desapareceram totalmente) no processo de desenvolvimento de seu produto.

Mais conteúdo sobre:
OMS gripe a gripe suina pandemia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.