Adnan Abidi/Reuters
Adnan Abidi/Reuters

OMS diz que dados apontam para maior transmissibilidade de cepa indiana do coronavírus

Segundo a Organização Mundial de Saúde, nova variante está sendo classificada como um tipo digno de preocupação global

Gabriel Caldeira, O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2021 | 12h54

Dados preliminares indicam que a variante B.1617 do coronavírus, originada na Índia, tem capacidade de transmissão maior do que a cepa original do vírus, segundo afirmou nesta segunda-feira, 10, a líder técnica da resposta à pandemia de covid-19 da Organização Mundial da Saúde (OMS), Maria Van Kerkhove.

A cepa B.1.617 está sendo classificada como um tipo digno de preocupação global. "Nós a classificamos como uma variante preocupante em nível global", disse Maria Van Kerkhove. "Existe alguma informação disponível que indica uma transmissibilidade acentuada."

Segundo a cientista chefe da entidade multilateral, Sumya Swaminathan, até onde se sabe, as vacinas contra a covid-19 e tratamentos disponíveis são eficazes contra casos da cepa indiana. Ela ressaltou, no entanto, que as evidências ainda são recentes e é importante "dar tempo" para que mais dados sobre a variante B.1617 sejam coletados.

As infecções e mortes de coronavírus na Índia ficaram próximas de altas diárias recordes nesta segunda-feira, aumentando os apelos para que o governo do primeiro-ministro, Narendra Modi, adote um lockdown no segundo país mais populoso do mundo.

A OMS disse que a linhagem predominante da B.1.617 foi identificada primeiramente na Índia em dezembro, embora uma versão anterior tenha sido detectada em outubro de 2020. A variante já se disseminou em outros países, e muitos adotaram medidas para cortar ou restringir contatos com a Índia. Van Kerkhove disse que mais informações sobre a variante e suas três linhagens serão disponibilizadas na terça-feira.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que a Fundação OMS está lançando um apelo batizado de "Juntos pela Índia" para arrecadar fundos para a compra de oxigênio, remédios e equipamento de proteção para profissionais de saúde.

Situação global

Tedros Adhanom Ghebreyesus também informou que os casos e mortes globais por covid-19 atingiram um platô, com declínios na América Latina, "uma das regiões mais atingidas pela pandemia". Ainda assim, as taxas de infecção e óbito pela doença seguem "inaceitavelmente altas", e, por isso, há a possibilidade de novas ondas de transmissão, alertou. / COM REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.