Oli Scarff/AFP
Oli Scarff/AFP

OMS diz que não há razão para interromper o uso da vacina de Oxford/AstraZeneca

A instituição informou que está revisando os relatos de possíveis efeitos adversos observados em alguns vacinados e fará um relatório sobre suas descobertas

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de março de 2021 | 08h54

GENEBRA - Um comitê consultivo de especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) está analisando no momento a vacina de Oxford/AstraZeneca contra a covid-19 depois que alguns países interromperam a distribuição do imunizante. Nesta sexta-feira, a porta-voz da instituição ressaltou que não há razão para não usar a vacina.

Autoridades de saúde em vários países, incluindo Dinamarca, Noruega e Islândia, suspenderam o uso da vacina de Oxford/AstraZeneca após relatos da formação de coágulos sanguíneos em algumas pessoas que foram vacinadas. A porta-voz da OMS, Margaret Harris, disse em uma entrevista que o imunizante é uma "vacina excelente" e que nenhuma relação causal foi demonstrada entre a vacina e relatos de problemas de saúde, chamando a pausa no uso de "medida de precaução."

“É muito importante entender que, sim, devemos continuar usando a vacina da AstraZeneca. Tudo o que estamos observando é o que sempre olhamos: qualquer sinal de segurança deve ser investigado”, afirmou.

O comitê consultivo global da OMS sobre segurança de vacinas está atualmente revisando os relatos e fará um relatório sobre suas descobertas, acrescentou, assim como faz com quaisquer questões de segurança. “É muito importante que estejamos ouvindo os sinais de segurança porque, se não estivéssemos fazendo isso, iria parecer que não há revisão e vigilância suficientes”, disse./REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.