EFE/EPA/FILIP SINGER
EFE/EPA/FILIP SINGER

OMS diz que países devem tomar as medidas mais ambiciosas possíveis contra coronavírus

Organização Mundial da Saúde recomendou identificação de contaminados e isolamento de infectados

Paulo Beraldo, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2020 | 11h55

Diretores da Organização Mundial da Saúde (OMS) na Europa pediram nesta terça-feira, 17, que os países adotem as medidas mais ambiciosas possíveis para evitar o crescimento da pandemia do novo coronavírus. Em entrevista coletiva, dirigentes da entidade reforçaram a recomendação de que é preciso realizar testes para identificar indivíduos contaminados e isolar os infectados.

"Todos os países, sem exceção, precisam adotar as ações mais ambiciosas para parar ou frear a ameaça do coronavírus. Ações ambiciosas incluem ações comunitárias. Pensar 'isso não me diz respeito' não é uma opção", afirmou o diretor regional da OMS na Europa, Hans Kluge, lembrando que a região é o epicentro da pandemia. Na região, são mais de 63 mil contágios e 2.738 mortos. A OMS afirmou ainda que os países europeus devem "dobrar ou triplicar" o nível de esforços contra o vírus. 

Kluge também enfatizou a necessidade de reduzir a epidemia de informações falsas sobre o corona. "Todos nós temos um papel para conter esse surto. Temos de dar o exemplo". As autoridades exaltaram a atuação da China, que adotou medidas restritivas e tem conseguido conter o avanço do vírus. 

Os especialistas destacaram a necessidade de diagnosticar os pacientes com testes, fortalecer a capacidade dos sistemas públicos de saúde dos países, colocar os infectados em quarentena e mobilizar toda a comunidade. A nova contagem da OMS indica que mais de 7 mil pessoas já morreram em decorrência do coronavírus, que está em 142 países.

"Recomendamos o cancelamento de eventos, manifestações e o isolamento social. É preciso sempre lembrar que aqueles que estão doentes precisam ser isolados e identificar de onde veio a contaminação", afirmou Dorit Nitzan, coordenadora de operações de emergência da OMS na Europa.

Nitzan ressaltou que hospitais devem priorizar atendimentos aos que necessitam diante da superlotação em algumas regiões. "Precisamos de abordagens inovadoras para garantir que todos que precisam de atenção a tenham. Já vimos testes por drive through", exemplificou. 

Os diretores também afirmaram que aprendem diariamente sobre o coronavírus e que os avanços devem ser compartilhados. "Estamos aprendendo a cada dia e em todos os campos", disse Kluge. 

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.