OMS elogia SUS, mas pede mais verba para saúde

Relatório observa que em 2007 o gasto per capita na área foi de US$ 25

AE, Agência Estado

08 Setembro 2010 | 20h23

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou hoje um documento recheado de elogios ao Sistema Único de Saúde (SUS) brasileiro, mas fez um alerta para a necessidade de se ampliar o financiamento na esfera federal.

O relatório - um balanço dos 20 anos do SUS - observa que em 2007 o gasto per capita na área foi de US$ 252, bem abaixo dos US$ 336 investidos na Argentina ou dos US$ 431 gastos no Uruguai. No documento, a OMS associa o fim da Contribuição Provisória sobre a Movimentação de Valores Financeiros (CPMF) à redução dos gastos federais na área.

Entre destaques da saúde apontados pela OMS estão o Programa Saúde da Família, a rede de serviços hospitalares, incluindo cirurgias cardíacas, exames laboratoriais e o programa de vacinação.

A OMS também ressalta o papel fundamental da descentralização da saúde. Para técnicos que prepararam o relatório, o sistema de financiamento, em nível municipal, funciona de forma adequada: 98% dos municípios atingem o piso de gastos em saúde, equivalente a 15% do orçamento. O mesmo não ocorre em nível estadual: pouco mais da metade dos Estados cumprem o piso de 12% do orçamento para a área de saúde.

Mais conteúdo sobre:
saúde OMS SUS verba

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.