OMS está perto de declarar pandemia, mas teme pânico

Especialistas temem que pessoas sobrecarreguem os serviços de saúde sem necessidade após o alerta

Reuters,

09 Junho 2009 | 14h40

A Organização Mundial da Saúde (OMS) está cada vez mais perto de declarar que há uma pandemia de gripe A(H1N1), a gripe suína, no mundo, mas quer garantir que os países estejam preparados para a medida e evitem o pânico, disse o principal especialista na doença da organização.

 

Veja também:

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde 

 

Keiji Fukuda, o diretor-geral em exercício da OMS, manifestou preocupação com a disseminação sustentada da nova variedade de vírus em países fora da América do Norte, incluindo a Austrália, com mais de mil casos.

 

A doença que infectou mais de 26,5 mil pessoas em 73 países, com 140 mortes, também espalha-se no Reino Unido, Espanha e Japão.

 

A disseminação conformada em nível comunitário numa segunda região, além da América do Norte, desencadearia a adoção da fase 6 de alerta, no lugar da fase 5 atual.

 

 

Pergunta se ainda há alguma dúvida de que existe uma pandemia em curso, Fukuda disse que "estamos muito perto disso".

 

Ele afirmou que a decisão de declarar pandemia vai além de fazer o anúncio. A agência terá de garantir que os países sejam capazes de administrar a nova situação e, também, de lidar com a reação do público.

 

"Uma das questões críticas é que não queremos que as pessoas tenham um 'pânico exagerado' se ouvirem que a situação é de pandemia", disse Fukuda.

 

Um perigo real é o de hospitais ficarem superlotados de pessoas em busca de tratamento desnecessário.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.