OMS oferecerá testes rápidos para tuberculose resistente

Atualmente testes demoram tanto que pacientes podem morrer antes do resultado.

Da BBC Brasil, BBC

30 de junho de 2008 | 12h39

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pretende popularizar em países em desenvolvimento um teste que acelera o diagnóstico e o tratamento de pessoas que sofrem de um tipo de tuberculose resistente a vários tipos de medicamentos (conhecida como MDR-TB).O resultado do exame pode ser dado em dois dias. Atualmente, são necessários até três meses para que testes revelem o estado do paciente. Nos países em desenvolvimento a maioria dos pacientes com tuberculose só é testada para o tipo resistente quando o tratamento convencional não se mostra eficaz.Com freqüência pacientes morrem antes que os resultados sejam conhecidos, especialmente se são portadores do vírus HIV, que causa a Aids.A MRD-TB responde mal a tratamentos convencionais pois apresenta resistência a medicamentos como Isoniazida e Rifampicina.Estima-se que apenas 2% dos casos de tuberculose multi-resistente a medicamentos em todo o mundo estejam sendo diagnosticados e tratados de maneira apropriada, especialmente por causa de serviços de laboratório inadequados.O objetivo da OMS é aumentar essa proporção nos próximos quatro anos para pelo menos 15%, ampliando o acesso de pacientes aos novos testes.TreinamentoAtualmente estes testes são usados apenas em pesquisas, mas há planos para aperfeiçoar as instalações laboratoriais e treinar técnicos para utilizá-los em 16 países onde a incidência de MDR-TB é significativa.Os 16 países são Costa do Marfim, República Democrática do Congo, Etiópia, Vietnã, Azerbaijão, Bangladesh, Geórgia, Indonésia, Cazaquistão, Quirguistão, Lesoto, Moldávia, Myanmar, Tadjiquistão, Ucrânia e Uzbequistão.Lesoto, no sul da África, por exemplo, já está aparelhado para começar a usar estes testes. A Etiópia deverá estar preparada até o fim deste ano. Os testes serão introduzidos de 2009 a 2011 nos países restantes.A iniciativa será complementada por um acordo de US$ 33,7 milhões alcançado pela Unitaid, organização internacional que compra remédios para HIV/Aids e tuberculose a um custo menor para oferecê-los a países em desenvolvimento, para aumentar a oferta de medicamentos para tratar a tuberculose resistente. O objetivo é aumentar o suprimento de remédios e reduzir seu custo em até 20% em 54 países. A OMS tem um plano de reduzir a tuberculose no mundo chamado Stop TB Partnership e, além do trabalho com a Unitaid, atua em parcerias com organizações como a Foundation for Innovative New Diagnostics (Find). BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.