OMS pede garantia de vacina ao Brasil

OMS pediu garantias ao governo brasileiro no fornecimento de vacinas contra a febre amarela no mundo

Jamil Chade, da Agência Estado,

22 de janeiro de 2008 | 17h41

Após solicitar reunião com o Ministério da Saúde brasileiro na segunda-feira, 21, a diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan, pediu garantias ao governo brasileiro no fornecimento de vacinas contra a febre amarela no mundo. No encontro, que aconteceu no mesmo dia em Genebra, o presidente da Fiocruz, Paulo Buss, garantiu que o Brasil, um dos maiores produtores mundiais da vacina, não permitirá que ela falte nos países em desenvolvimento. Há uma semana, o governo anunciou que deixaria de exportar momentaneamente as vacinas, o que deixou as autoridades internacionais preocupadas com o abastecimento na África e em outros países latino-americanos. "O governo me garantiu que está aumentando sua capacidade de produção de vacinas para atender à situação no País", afirmou Margaret após o encontro. As autoridades brasileiras estão na Suíça para participar das reuniões do Conselho Executivo de OMS.  Buss explicou à Margaret que a produção no país foi reforçada, inclusive com a interrupção de vacinas para a Rubéula e Caxumba. O presidente da Fiocruz também deixou claro que o governo tem matéria-prima para uma quantidade grande de vacinas e que não existia o risco de o Brasil não cumprir com seus contratos a partir de fevereiro. "O que me foi dito é que o governo está fazendo todo o possível para lidar com a situação. Espero que a situação se normalize", completou a diretora

Tudo o que sabemos sobre:
febre amarela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.