OMS pede pressa para novos tratamentos contra Ebola

Órgão convocou trabalho conjunto entre farmacêuticas e agências reguladoras; médico dos EUA infectado chegou ao Nebraska

O Estado de S. Paulo

05 Setembro 2014 | 11h24

GENEBRA - A Organização Mundial da Saúde (OMS) convocou companhias farmacêuticas e agências regulatórias a trabalharem de forma conjunta para acelerar o desenvolvimento de drogas seguras e eficientes no combate ao Ebola. Dez tratamentos experimentais - oito drogas e duas "promissoras" vacinas - têm mostrado potencial contra o vírus, mas permanecem sob investigação.

Nesta sexta-feira, 5, um médico americano chegou ao Estado de Nebraska para iniciar o tratamento contra o Ebola. O doutor Rick Sacra foi conduzido de ambulância ao Centro Médico de Nebraska, na cidade de Omaha, após ter pousado às 6h (horário local) desta sexta-feira na Base da Força Aérea. Ele começará o tratamento na unidade especial de isolamento do hospital, a maior entre quatro unidades nos Estados Unidos.

Sacra foi à Libéria mesmo após ouvir que dois missionários americanos tinham sido infectados. Ele servia à instituição de caridade SIM. O médico não tratava pacientes por Ebola e é incerto como ele foi infectado. Antes dele, os profissionais de saúde Nancy Writebol e Kent Brantly foram tratados no país e conseguiram se curar do vírus./AP E REUTERS

Mais conteúdo sobre:
EUAEbolaNebraska

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.