EFE/EPA/Ministry of civil aviation
EFE/EPA/Ministry of civil aviation

OMS reconvoca comitê de especialistas para decisão sobre emergência global por coronavírus

Após três países registrarem transmissão interna, diretor-geral da entidade decide chamar nova reunião para esta quinta-feira diante de risco de propagação do surto

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2020 | 13h50

SÃO PAULO - Diante do aumento expressivo de casos do novo coronovírus e da transmissão da doença também fora da China, a Organização Mundial da Saúde (OMS) decidiu reconvocar o comitê de especialistas para uma reunião nesta quinta-feira, 30, na qual a entidade decidirá se declara emergência em saúde pública de interesse internacional por causa do surto.

A nova reunião do comitê de emergência ocorre uma semana depois de a agência decidir que era "muito cedo" para declarar alerta global sob o argumento de que, embora o surto fosse uma emergência na China, ainda não representava uma ameaça internacional. Na ocasião, a OMS alegou que os casos estavam localizados no país asiático e que medidas para conter a doença já estavam sendo tomadas. 

Nos dias seguintes, porém, vários países confirmaram casos de coronavírus. Das 15 nações com registros, três delas (Alemanha, Japão e Vietnã) registraram infecções em cidadãos que não estiveram na China, confirmando, assim, transmissão interna. O cenário aumentou o risco de surto global e foi uma das principais razões para a reconvocação do comitê de especialistas, de acordo com o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

"A maior parte dos 6 mil casos de novo coronavírus está na China - somente 1%, ou 68 casos, foram registrados até agora em 15 outros países. Mas algumas transmissões de pessoa para pessoa foram registradas em três países além da China. Esse potencial de propagação global é o motivo pelo qual eu convoquei o comitê de emergência", escreveu ele em sua conta no Twitter, na tarde desta quarta. 

De acordo com o último boletim do governo chinês, o novo coronavírus já infectou 5,9 mil pessoas em seu território, das quais 132 morreram. Outros 9,2 mil casos são investigados no país.

Segundo o Regulamento Sanitário Internacional da OMS, acordo legal que envolve 196 países, uma emergência de saúde pública de interesse internacional é definida como “um evento extraordinário determinado que constitui um risco de saúde pública para outros Estados por meio da disseminação internacional de doenças e por potencialmente exigir uma resposta internacional coordenada”.

A OMS já declarou esse status cinco vezes na história. A primeira vez foi durante o surto de gripe H1N1, em 2009. Motivaram ainda a declaração de emergência as epidemias de poliomielite (2014), zika (2016) e Ebola (duas vezes, em 2014 e 2019).

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.