OMS retira funcionários de laboratório após contaminação

Colaborador da entidade foi infectado ao realizar testes de Ebola em Kailahun, no leste de Serra Leoa; medida é temporária, diz porta-voz

Umaru Fofana, REUTERS

26 Agosto 2014 | 11h25

KAILAHUN - A Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou funcionários de um laboratório em Serra Leoa que realiza testes de Ebola em Kailahun, no leste do país, depois que um de seus trabalhadores no local foi infectado durante o pior surto em todos os tempos, disse um porta-voz da OMS nesta terça-feira, 26. 

"Essa é uma medida temporária para cuidar do bem-estar dos nossos trabalhadores remanescentes", disse o porta-voz da OMS Christy Feig à Reuters. "Depois de nossa avaliação, eles vão voltar."

A OMS enviou cerca de 400 pessoas de seu pessoal próprio e de organizações parceiras para combater o surto de Ebola na África Ocidental. A entidade disse no domingo, 24, que um trabalhador estrangeiro enviado para Serra Leoa havia sido infectado.

Mais conteúdo sobre:
Ebola OMS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.