Orçamento de 2006 terá US$ 12 mi para centro de compra de remédios

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou hoje que o governo deverá destacar, no orçamento de 2006, o montante equivalente a US$ 12 milhões para doação à Central Internacional para a Compra de Medicamentos (Cicom), projeto para permitir a redução de preços de remédios contra a aids, a malária e a tuberculose em países mais pobres. Na prática, o valor antecipará o recolhimento de US$ 2 sobre cada passagem de vôo internacional emitida no Brasil. "Esse valor é mínimo, não terá nenhum efeito sobre o setor de aviação civil. Ninguém notará", defendeu. Segundo Amorim, a alternativa à inclusão no Orçamento seria o envio de um projeto de lei ao Congresso, o que poderia retardar a doação. A cobrança de um adicional sobre passagens aéreas já é aplicada pela França, que adota o valor de US$ 10. A idéia da criação do Cicom foi defendida pelo Brasil e obteve, desde o início, o apoio da França e de outros países. Trata-se de uma das ações internacionais relacionadas ao combate à fome e à pobreza mundial. O governo brasileiro espera que o Cicom seja implementado formalmente em um encontro em setembro deste ano.

Agencia Estado,

06 de julho de 2006 | 15h10

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.