Organização aprova guia contra contaminação de leite em pó

Agentes bacterianos que organização tenta evitar podem causar graves problemas de saúde em bebês e crianças

Efe

01 de julho de 2008 | 20h27

A Codex Alimentarius, organização multilateral que fixa os padrões de qualidade dos alimentos, informou nesta terça-feira, 1, que aprovou uma guia para reduzir o risco de contaminação com bactérias no leite em pó para bebês e crianças. Os agentes bacterianos que a organização tenta evitar podem causar graves problemas de saúde, principalmente em bebês prematuros, que nasceram abaixo do peso ou com problemas imunológicos, explicou o especialista da Organização Mundial da Saúde (OMS) Peter Ben Embarek. Embarek disse que esses organismos estão em vários ingredientes do leite em pó, mas são ativados quando este é misturado com água, e por isso a maneira mais eficaz de impedir a contaminação seria cumprir certas regras de higiene. "Trata-se de um grande problema nos países em desenvolvimento, mas muito poucos prestam a devida atenção", afirmou Embarek. A guia aprovada pela Codex Alimentarius recomenda lavar e esterilizar as mamadeiras e seus componentes, assim como utilizar água fervida a pelo menos 70 graus Celsius para a mistura do leite em pó, já que as bactérias morrem a essa temperatura. Quando o alimento está pronto, deve ser esfriado para a temperatura adequada e ser dado rapidamente à criança. Além disso, Embarek diz que quando se deseja guardar alimentos que serão consumidos em pouco tempo, eles devem ser refrigerados a menos de 5 graus Celsius, o que desacelera e detém o crescimento das bactérias. Finalmente, o especialista destaca que os alimentos à temperatura ambiente devem ser descartados depois de duas horas, enquanto os refrigerados após 24 horas. Por outro lado, o Codex Alimentarius aprovou o limite máximo de aflatoxinas em amêndoas, avelãs e pistaches. As aflatoxinas são toxinas naturais que contaminam o milho, o amendoim e outros frutos secos sob certas condições e que são cancerígenas.

Tudo o que sabemos sobre:
saúdebebêscrianças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.