Marcelo Camargo/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Osmar Terra volta a dizer que 'quarentena está quebrando o país'

Ex-ministro usa publicação em rede social para contestar informações de especialistas de todo o mundo

André Borges, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2020 | 11h54

BRASÍLIA – No dia em que o Brasil deve superar o número oficial de mortos anunciados pela China, com mais de 4.600 vítimas fatais do coronavírus, o ex-ministro da Cidadania Osmar Terra voltou a criticar as quarentenas em vigor no País, apesar de o Ministério da Saúde, cientistas de todo o mundo, médicos e governos terem comprovado que a medida preventiva é a melhor saída para segurar a explosão da pandemia.

Numa rede social, Terra voltou a dizer que o isolamento social não tem ajudado a segurar o aumento explosivo de pacientes de covid-19 em hospitais. “Para que era mesmo a quarentena imposta pelos governadores? P achatar a curva de progressão do coronavírus? Pois é..não aconteceu.A quarentena não reduziu um caso da doença e está quebrando o país, inutilmente! Vejam progressão da curva no Brasil em 45 dias. Parece achatada? Não”.

Ontem, já sob a gestão do ministro Nelson Teich, o próprio Ministério da Saúde reafirmou que a medida é necessária para manter o controle da situação. 

Isolado dentro do próprio governo, Osmar Terra tem insistido em suas teorias, as quais, dia após dia, são esvaziadas pelos fatos. Três semanas atrás, no dia 9 de abril, foi flagrado pela CNN em uma conversa com o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, na qual dizia que o coronavírus deve fazer “entre 3 mil e 4 mil mortos”, o que classificou como “menos do que uma gripe sazonal”.

Ontem, o Brasil registrou 4.543 mortes e 66.501 casos confirmados em todas as unidades federativas, de acordo com o Ministério da Saúde. Mais de 300 mortes têm sido registradas diariamente e o próprio governo admite que o pico da doença ainda não chegou nas maiores cidades do País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.