Leonardo Augusto/Estadão
Leonardo Augusto/Estadão

Paciente com suspeita de coronavírus está em ala isolada de hospital de BH e tem quadro estável

Jovem de 22 anos procurou atendimento na segunda-feira, 27, e está internada no hospital Eduardo de Menezes. Ela passou pela China e tem sintomas compatíveis com a doença

Pablo Pereira, enviado especial, Leonardo Augusto, especial para, O Estado de S.Paulo

28 de janeiro de 2020 | 20h27

BELO HORIZONTE - Um dos casos suspeitos de coronavírus no Brasil é o de uma estudante de 22 anos que esteve recentemente em Wuhan, na China. Ela está internada, em isolamento, no hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte. A informação foi confirmada ao Estado pelo médico infectologista Dario Brock Ramalho, sub secretário da Vigilância Sanitária de Minas Gerais. 

A jovem chegou ao Brasil na sexta-feira, 24, e na segunda-feira, 27, procurou atendimento. Ela apresentava sintomas de gripe, com dificuldade respiratória e febre. "A paciente apresentava sintomas compatíveis, mas acredito que se trate de um resfriado, uma gripe", explicou Ramalho. Mesmo assim, segundo o médico, ela foi isolada numa ala do hospital e passa por exames. 

O Eduardo de Menezes é hospital de referência, com equipe treinada para atendimentos de casos como infecções. Os técnicos estão usando equipamentos apropriados para o tratamento, como máscaras, luvas, visores especiais para proteção da equipe médica.

Uma das três alas principais de internação foi isolada e destinada exclusivamente ao tratamento do caso suspeito. Os demais serviços de atendimento estão preservados e continuam funcionando normalmente. 

De acordo com Ramalho, pelo menos 14 pessoas que tiveram contato com a paciente nos últimos dias também estão sendo monitoradas. "Não há isolamento dessas pessoas, mas elas precisam ser acompanhadas para verificação de eventuais sintomas", explicou o médico. "É importante esclarecer que não são mais 14 casos de suspeita", alertou. 

Mas a internação da paciente no local trouxe receio a quem foi ao hospital. Uma paciente, moradora de Candeias, Região Sul de Minas, que chegou nesta manhã para consulta no hospital, disse ter recebido um conselho da irmã: "quando voltar, não fala que esteve aí, ou as pessoas vão correr de você", contou. "A gente fica com medo", afirmou, já depois de sair do hospital, sem se identificar.

Outra paciente, de Ubá, na Zona da Mata, disse que "por pouco" não cancelou a consulta que teve hoje.

Conforme a Secretaria de Estado de Saúde, o hospital Eduardo de Menezes é "referência estadual para o atendimento de doenças infectocontagiosas, emergências em saúde pública e atenção aos agravos de interesse sanitário. Para esses casos é necessária resposta rápida e qualificada, com isolamento em área específica e monitoramento clínico cuidadoso e de resultados de exames".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.