Fernanda Carvalho/O Tempo
Fernanda Carvalho/O Tempo

Paciente com suspeita de Ebola passa bem

Brasileiro que veio da Guiné teve resultado negativo para Ebola no primeiro exame; segundo teste será divulgado no sábado

Constança Rezende, O Estado de S. Paulo

13 Novembro 2015 | 19h17

RIO - O brasileiro de 46 anos que esteve na Guiné e retornou ao Brasil no último dia 6, com suspeita de ter contraído o vírus Ebola, passou esta sexta-feira, 13, bem. O homem, que não teve a identidade divulgada, está internado no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, na sede da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Manguinhos, zona norte do Rio. 

Segundo a instituição, o paciente continua sem febre, respondendo bem ao tratamento para a malária e se alimentando. Ele apresenta quadro estável e sem febre desde que chegou à Fiocruz, à 0h da última quinta-feira, 12.

No início da noite de sábado, 14, o Ministério da Saúde deverá divulgar o segundo exame do paciente, emitido pelo Laboratório de Vírus Respiratório e Sarampo da Fiocruz, através de nova coleta de sangue. O primeiro teste, divulgado na quinta-feira, 12, deu resultado negativo para o Ebola. No entanto, de acordo com os protocolos internacionais, a confirmação do diagnóstico só poderá ocorrer após a realização de um segundo exame.

De acordo com o primeiro boletim médico, o paciente apresentou resultado positivo para teste de malária, doença muito frequente na África. Caso o segundo exame de Ebola apresente resultado negativo, o paciente será retirado do isolamento e as 95 pessoas que tiveram contato com ele deixarão de ser monitoradas.

No dia 8, o brasileiro oriundo da Guiné começou a apresentar sintomas como febre alta, dor muscular e de cabeça. Por isso, foi internado. É considerado suspeito todo caso onde a pessoa tenha passado por área afetada pelo Ebola e que apresente quadro febril até 21 dias após deixar a área, período considerado como limite máximo para a incubação da doença. A Fiocruz  informou que o paciente não passou por nenhuma região crítica da doença. Ele continua internado em isolamento.

O Ebola é uma doença grave, com taxa de letalidade de aproximadamente 50% e transmitido através do contato com o sangue, tecidos ou fluidos corporais de indivíduos doentes.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.