Paciente de gripe suína no RJ tem alta; há 37 casos suspeitos

A maioria dos casos suspeitos está no Estado de São Paulo; totla de casos confirmados continua em oito

Pedro Dantas, da Agência Estado,

13 Maio 2009 | 13h41

O primeiro paciente a ser diagnosticado com o vírus Influenza A (H1N1)no Rio teve alta  na manhã desta quarta-feira, 13, e deixou o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), na Ilha do Fundão, na zona norte do Rio. "Ele está curado, não oferece nenhum risco de transmissão e está imune ao vírus", afirmou o chefe do Setor de Epidemiologia e Avaliação do hospital, Roberto Fiszman. O rapaz de 21 anos contraiu a doença após viajar para Cancún e voltar para o Brasil em voo que fez escala na Cidade do México.

 

Veja também:

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde   

 

A mãe e a irmã do jovem, que estavam em quarentena domiciliar voluntária, também foram liberadas após dez dias. Elas não apresentaram nenhum sintoma. "Só tenho a agradecer a equipe de profissionais da Vigilância Sanitária e do hospital. Agora, nós vamos seguir a vida e rezar por aqueles que ficaram", disse a mãe do rapaz, referindo-se ao amigo e a mãe contaminados pelo filho dela, que continuam internados. Ela se emocionou ao dizer que por causa do isolamento não pôde passar o dia das mães com a avó do filho.

 

Após ter alta, o rapaz não quis ser fotografado e falou apenas por telefone com alguns jornalistas. Ele disse à TV Bandeirantes que ficou em isolamento total e se disse preocupado com a amigo e a mãe dele, que foram contaminados por ele. O rapaz contou que não tomou medicamentos, pois o remédio indicado deve ser consumido apenas nas primeiras 48 horas após o surgimento dos sintomas e ele foi ao hospital depois disso. "A primeira coisa que quero fazer agora é dar um abraço na minha mãe e depois sumir", disse ele, que reclamou do assédio da imprensa.

 

De acordo com o hospital, o amigo contaminado pelo primeiro paciente e a mãe dele estão sem febre e passam bem. O fim da quarentena das outras pessoas desta família está previsto para quinta-feira. Um outro rapaz de 24 anos, que voltou de viagem dos Estados Unidos, está internado com febre sob suspeita de ter a gripe. O resultado dos exames dele deve sair em até 72 horas. Duas pessoas também estão sob suspeita em observação no Hospital Evandro Chagas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Também nesta quarta, o taxista Wiliam Lamego, de 38 anos, deu entrada no HUCFF. Com máscara de proteção e acompanhado da mulher, ele disse que na noite de terça-feira apresentou febre baixa, tosse e dores nas articulações. "Como trabalho no Aeroporto Santos Dumont (que concentra apenas vôos nacionais), acho que posso ter contraído a gripe de algum passageiro", disse Lamego. Morador de Anchieta, na zona norte do Rio, ele foi encaminhado ao hospital pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro.

 

Ignorância

 

O chefe de Epidemiologia e Avaliação do HUCFF criticou o que chamou de "ignorância" da população sobre a gripe. "Como a mídia divulgou que havia risco para os viajantes, nós temos casos de pessoas que viajaram para Maricá (Região dos Lagos) e procuram o hospital. As pessoas que correm risco são os passageiros  que voltam de áreas de risco no exterior", ressaltou Roberto Fiszman. Ele disse que está em circulação no Rio o vírus Influenza Sazonal cujos sintomas são confundidos pela população com os do vírus Influenza A (H1N1). "Esta gripe sazonal mata mais que a Influenza A e apresenta mortalidade de até 2% entre os contaminados", afirmou.

 

Números

No início da tarde, o Ministério da Saúde divulgou nota informando que acompanha 37 casos suspeitos da doença no País. As amostras com secreções respiratórias desses pacientes estão em análise laboratorial. Os casos suspeitos estão nos Estados de São Paulo (14), Minas Gerais (7), Distrito Federal (4), Pernambuco (3), Rio de Janeiro (3), Alagoas (2), Ceará (1), Pará (1), Rio Grande do Sul (1) e Rondônia (1). Além disso, 39 casos estão em monitoramento, em 12 Estados; e 188 foram descartados.

 

Os números referem-se a informações repassadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde até as 9h30 desta quarta-feira. Todos os casos identificados após esse horário serão contabilizados pelo ministério no boletim de quinta-feira.

 

Até o momento, foram confirmados oito casos da doença, nos Estados do Rio de Janeiro (3), São Paulo (2), Minas Gerais (1), Rio Grande do Sul (1) e Santa Catarina (1).

 

(Ampliada às 16h34)

Mais conteúdo sobre:
gripe suínainfluenza A(H1N1)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.