NELSON ALMEIDA / AFP
NELSON ALMEIDA / AFP

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Paciente que testou positivo para novo coronavírus no DF está em estado grave

Em boletim divulgado neste sábado, 7, Secretaria de Saúde explica que mulher “apresenta síndrome respiratória aguda severa, em função de doença crônica preexistente”

Emilly Behnke, O Estado de S.Paulo

07 de março de 2020 | 15h11

BRASÍLIA - A mulher de 52 anos do Distrito Federal que teve resultado positivo em um teste para o novo coronavírus está em estado grave e respira com a ajuda de aparelhos, informou hoje a Secretaria de Estado de Saúde.

Em boletim divulgado neste sábado, 7, o órgão explica que a mulher “apresenta síndrome respiratória aguda severa, em função de doença crônica preexistente”, mas não detalhou qual seria doença. Ela está em estado grave e respira com a ajuda de aparelhos, informou hoje a Secretaria de Estado de Saúde. 

A paciente segue internada em isolamento na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Regional da Asa Norte e está sob cuidados intensivos da equipe multidisciplinar.

O resultado da contraprova para a presença do Covid-19 ainda é aguardado. As amostras estão em análise no Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. 

A mulher esteve em viagem no Reino Unido e na Suíça e começou a apresentar sintomas em 26 de fevereiro. Com sintomas de febre, tosse e secreções, ela foi atendida na quarta-feira, 4, no Hospital Daher, no Lago Sul. Na quinta, um exame feito no hospital deu positivo para o vírus e ela foi transferida ao HRAN – a unidade está na lista de locais de referência do DF para tratamento da doença.

Até as 18h de sexta-feira, os dados oficiais do Ministério da Saúde indicavam 17 casos confirmados de coronavírus no país. Neste sábado, a secretaria estadual de saúde do Rio de Janeiro confirmou mais um caso. 

O DF está em situação de emergência no âmbito da saúde pública desde o dia 29 de fevereiro, por conta do risco de pandemia do coronavírus. A medida permite alinhar ações de enfrentamento da doença por 180 dias. A capital segue as recomendações do ministério e monitora a situação diariamente.

Doentes crônicos

A taxa de mortalidade por coronavírus é até nove vezes maior entre pessoas com alguma doença crônica quando comparada à de pacientes sem patologia preexistente. Segundo dados do governo chinês compilados por uma missão de especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) em fevereiro, no grupo de infectados que não tinham nenhuma comorbidade, apenas 1,4% morreu. Já entre os pacientes com alguma doença cardiovascular, por exemplo, o índice chegou a 13,2%. Considerando todos os pacientes infectados, a letalidade foi de 3,8%.

Leia mais aqui

Tudo o que sabemos sobre:
Distrito Federal [Brasil]coronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.