PIxabay
Transtornos mentais, como fobias e TOC, podem ser agravados por causa do coronavírus PIxabay

Pacientes com fobias ou TOC podem ter quadros psíquicos agravados por causa do coronavírus

Especialistas alertam: quarentena e recomendações de higienização, por exemplo, reforçam comportamentos obsessivos

Camila Tuchlinski, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2020 | 13h23

Imagine o sofrimento daqueles que precisam ficar em quarentena e que têm diagnóstico para Transtorno de Ansiedade Social e Fobia? Normalmente, os pacientes não conseguem sair na rua ou têm sintomas como angústia em locais com muita gente. Com a recomendação para que todos fiquem em casa, o tratamento psicológico e psiquiátrico pode ser comprometido em decorrência do novo coronavírus. Além de fobias, quadros como o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) e Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) merecem atenção diante da pandemia de covid-19 anunciada pela OMS. Esta é a constatação feita por especialistas consultados pelo Estado.

Pessoas que apresentam sinais de agorafobia (medo de estar em locais públicos abertos e com grandes aglomerações) podem apresentar o sintoma, vê-lo ressurgir ou mesmo intensificar neste momento, dificultando ou impedindo a saída de casa mesmo em casos de necessidade para quem sofre desse mal. 

“Esse é considerado um dos principais sintomas da Síndrome do Pânico, onde a pessoa sente medo de não ter ninguém para socorrê-la caso venha a sofrer algum ataque. Quem sofre de claustrofobia (medo de estar em locais fechados como aviões, elevadores, salas pequenas) também pode vivenciar novas crises neste momento. São fobias que surgem da percepção da perda de controle, ou de uma necessidade de controle interna que este momento realmente retira das pessoas” afirma o psicólogo Ronaldo Coelho. 

Já um paciente diagnosticado com Transtorno Obsessivo Compulsivo que, por exemplo, tem mania de lavar as mãos em excesso pode ter o quadro psíquico agravado em decorrência da pandemia de coronavírus.

“O paciente que acha que, se tocar um local pode ser contaminado, por exemplo. A gente precisa incentivar ele a ter contato com esse objeto fóbico. O coronavírus vai ser um reforçador desse comportamento. Teve uma paciente minha que chegou no consultório esses dias ela e falou: ‘Não disse que é pra lavar a mão? Agora está todo mundo me ouvindo!’. O problema é que quem tem TOC vai achar que o certo é isso (lavar as mãos em excesso). A gente perde um argumento importante para o tratamento”, avalia o psiquiatra Rodrigo de Almeida Ramos.

O neurocirurgião Fernando Gomes, do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP), lembra que a preocupação em excesso ocorre na região do córtex pré-frontal do cérebro e pode até fragilizar o sistema imunológico. “Essa região tem conexão direta com hipotálamo, que é uma estrutura cerebral profunda que regula todas as funções vitais e também influencia na imunidade. De forma que o pânico e a preocupação excessiva podem provocar comprometimento deste sistema e enfraquecer a imunidade”, afirma. O especialista recomenda que as pessoas evitem consumir cigarro e café em excesso também. 

Hipocondríacos podem sofrer mais por causa da covid-19?

Os sintomas da hipocondria incluem medo intenso e prolongado de ter uma doença grave e preocupação de que sintomas pequenos indiquem algo grave. A pessoa pode consultar ou mudar de médico com frequência.

Para o psicólogo Ronaldo Coelho, pessoas que sofrem com hipocondria também podem sentir os sintomas da doença sem estarem infectados. “Ou mesmo sentir um medo desproporcional de contrair o vírus e vir a óbito por conta da doença ou da falta de suporte dos serviços de saúde que podem ficar saturados. Este é um momento delicado onde o perigo pode ser visto na saturação da capacidade do sistema de saúde. Sendo assim, é possível que crises se iniciem nessas pessoas ao verem que os governantes não estão fazendo seu trabalho para a devida contenção do vírus”, analisa.

Como profissionais da Psicologia e Psiquiatria devem agir?

O mais importante nesse momento de pandemia, para pacientes com qualquer tipo de transtorno de ansiedade, é a presença constante do profissional de saúde. Alguns psicoterapeutas e psiquiatras estão optando pelo atendimento online para não deixaram de acompanhar os casos.

“O tratamento não necessariamente vai regredir, mas a gente tem que ficar de olho. Nesse momento vivemos uma ansiedade social. E uma ansiedade que está beirando o desespero. Mas isso é da sociedade, da circunstância”, pondera o psiquiatra Rodrigo de Almeida Ramos.

É importante lembrar o paciente que o que está vivendo é momentâneo e que o que está sentindo agora é congruente com a sociedade e não necessariamente está associado à uma doença de base, como as psíquicas que o levaram ao consultório.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

'Estado' libera para não assinantes conteúdo que ajuda população no combate ao coronavírus

CONTEÚDO ABERTO PARA NÃO-ASSINANTES: Saiba como fazer uma boa higiene das mãos e do celular, quais são os cuidados para idosos e gestantes, e quando é preciso usar máscaras, entre outros assuntos

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de março de 2020 | 22h52
Atualizado 07 de maio de 2020 | 11h15

SÃO PAULO - A rápida expansão do novo coronavírus no mundo fez a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretar estado de pandemia por causa da doença. O cenário, com rápida propagação também no Brasil, preocupa a população, mas a covid-19 pode ser evitada com medidas simples de prevenção, que devem ser intensificadas. Essas recomendações, dadas por especialistas, órgãos nacionais e internacionais, foram publicadas em diferentes conteúdos publicados pelo Estado, que estão abertos gratuitamente aos leitores que não são assinantes. 

Os desafios provocados pelo rápido avanço do coronavírus têm exigido a adoção de uma série de atitudes e mudanças por parte do Grupo Estado. Para isso, também foi criado um núcleo especialmente dedicado a essa cobertura, com cerca de 30 profissionais de São Paulo, Brasília e Rio, sem contar os correspondentes pelo País. Além disso, foi lançada uma newsletter especial, diária, que abordará todos os acontecimentos que o leitor precisa saber sobre a crise.

Para se prevenir do vírus, a principal orientação é fazer uma boa higiene das mãos, mas não bastam apenas cinco segundos embaixo da água corrente. Segundo especialistas, a forma mais eficaz é esfregar toda a mão com água e sabão ou gel desinfetante por 20 segundos. Veja essa e outras recomendações a seguir.

Prevenção

LAVE AS MÃOS CORRETAMENTE

Essa medida básica tem benefícios maiores, segundo Francisco Ivanildo Oliveira Júnior, supervisor do ambulatório do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. "As pessoas devem higienizar as mãos não só para se proteger do coronavírus, mas de outras infecções virais", explica. Veja aqui como lavar as mãos corretamente.

ÁLCOOL

O avanço do novo coronavírus no Brasil tem provocado a falta de álcool em gel nas prateleiras de supermercados e farmácias. Diante desse cenário, pessoas se questionam se o uso do álcool líquido ou álcool em gel caseiro também funcionaria de forma eficaz contra a covid-19. Especialistas alertam que o uso do álcool líquido deve ser feito apenas se a pessoa não tiver água e sabão por perto. O álcool líquido até pode ser usado, mas somente em último caso. E os especialistas são categóricos: jamais faça uso de álcool em gel caseiro.

MÁSCARAS

O surto da doença também levou ao aumento da procura por máscaras de proteção, mas especialistas afirmam que o item deve ser usado por pessoas que estão com infecções virais a fim de evitar transmitir para outras. "As pessoas devem se manter afastadas pelo menos um metro de quem está tossindo ou espirrando, que é a distância que as gotículas podem atingir", recomenda o médico Francisco Ivanildo Oliveira Júnior, supervisor do ambulatório do Instituto de Infectologia Emílio Ribas e gerente do Controle de Infecção Hospitalar do Sabará Hospital InfantilEntenda melhor aqui.

ISOLAMENTO

O isolamento social está entre as medidas adotadas para combater a propagação do novo coronavírus. Diferentes modelos foram citados, como horizontal e vertical. Quem está com sintomas leves da doença pode não precisar de internação e ficar em casa, desde que respeite regras para evitar a infecção dos demais moradores. Entenda as recomendações.

IDOSOS SÃO GRUPO DE RISCO

Para pessoas com mais de 70 anos, a covid-19 é ainda mais perigosa. A taxa de letalidade do vírus é considerada baixa (entre 2% e 3%, segundo a OMS), mas o número sobe para 8% em quem tem de 70 a 79 anos e chega a 15% em maiores de 80 anos. Além das recomendações clássicas, o professor de Infectologia da Unifesp, Celso Granato, recomenda que esse grupo social evite contato com crianças. Veja mais orientações

IDA AO SUPERMERCADO: COMO EVITAR CONTAMINAÇÃO

Com o novo coronavírus, a covid-19, a rotina antes, durante e depois da ida ao supermercado precisa ser alterada. Preparar uma lista para fazer as compras com agilidade, lavar bem as mãos ao chegar em casa e higienizar as embalagens com álcool 70% são algumas das orientações, tendo em vista a capacidade do vírus de se manter ativo em superfícies. Higienizar frutas e verduras é fundamental, mas não há indícios de que a doença seja transmitida por alimentos. Saiba mais.

LIMPEZA DE SMARTPHONES

Os smartphones podem funcionar como depósitos das gotículas que transmitem a doença. Os cuidados com o celular incluem um elemento quase indispensável no atual momento: o álcool em gel. A orientação é higienizar o aparelho com o auxílio de um lenço de papel embebido em álcool. Confira aqui mais dicas de um infectologista para utilizar smartphones durante o surto.

ENTREGA SEM CONTATO

Em razão do aumento de casos do novo coronavírus no Brasil, aplicativos de entrega estão adotando alternativas para tentar reduzir os riscos de transmissão da doença. Entre as ações, está a possibilidade da entrega ser feita sem o contato físico entre entregador e consumidor. Algumas empresas já forneceram álcool em gel e máscaras aos entregadores e afirmam que elas devem ser usadas no trajeto e durante a entregas dos pedidos.

RESPONSABILIDADE

Muitos casos da doença são leves ou até assintomáticos, de modo que é possível acabar transmitindo sem nem perceber. Um jovem com sintoma leve, que ache que só tem um resfriado, pode acabar contaminando um idoso mais fragilizado. O problema é que a covid-19 em pessoas com mais de 80 apresenta uma taxa de letalidade de mais de 20%. Entenda por que a população tem um papel importante para evitar disseminação do coronavírus.

GESTANTES, LACTANTES E RECÉM-NASCIDOS

Mesmo com estudos que apontam que os casos do novo coronavírus não evoluíram para formas graves em gestantes, grávidas devem seguir as orientações de higienizar as mãos e evitar aglomerações. Manter a carteira de vacinação atualizada e evitar idas ao pronto-socorro em caso de resfriado também são indicadas. O Estado ouviu especialistas para tirar dúvidas sobre os cuidados para gestantes, lactantes e recém-nascidos, leia mais aqui.

O QUE DIZ O MINISTÉRIO DA SAÚDE?

O Ministério da Saúde esclareceu uma série de dúvidas sobre as orientações para o período de isolamento social imposto pelo novo coronavírus. Posso levar meu cachorro para passear? Posso levar meus filhos ao parquinho? Posso sair para correr na rua? Posso andar de bicicleta? As respostas são praticamente as mesmas para todas as perguntas: é preciso evitar aglomerações. Saiba mais aqui.

SAÚDE MENTAL

O momento de incertezas sobre o que virá, somado ao isolamento social – parte importante do combate à expansão do novo coronavírus –, pode desencadear quadros de estresse e ansiedade nos empreendedores, empreendedoras e no time de profissionais do negócio. Conteúdo do Fórum Econômico Mundial alerta para o fato de que a conexão entre as pessoas está estreitamente ligada à qualidade da saúde mental – algo que está em jogo diante da atual pandemia.

PARA EVITAR OS SUPERMERCADOS

Com a recomendação de se evitar locais públicos e com grande aglomeração, os supermercados também devem ser evitados. O Estado ouviu especialistas que elencaram dicas para fazer boas compras e diminuir as idas aos estabelecimentos. Confira alimentos que têm maior prazo de validade e dicas para maior conservação.

CRIANÇAS E CORONAVÍRUS

Os pequenos também podem contrair o novo coronavírus, mas os casos costumam ser leves e sem sintomas. Ainda assim, eles podem transmitir o agente infeccioso para outras pessoas. Isso fez com que colégios em São Paulo incentivasse a troca de beijos e abraços por sorrisos, o que pode gerar dúvidas nas crianças sobre o que elas estão vivendo. As perguntas surgem e a melhor orientação é tratar o assunto com tranquilidade, no caminho da conscientização. Saiba aqui como conversar com as crianças sobre a doença.

CONJUNTIVITE PODE SER SINTOMA

A conjuntivite é mais um sintoma apresentado pelo pacientes que apresentam casos graves do novo coronavírus, segundo a Academia Americana de Oftalmologia. A entidade fez essa indicação com base em três estudos científicos concluídos recentemente.

CHINA DESCOBRE DUAS CEPAS DIFERENTES

Cientistas chineses que estão estudando o surto da doença causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) descobriram que duas cepas do vírus estão circulando entre humanos e causando infecções. O estudo preliminar constatou que uma cepa mais agressiva do SARS-CoV-2 foi associada a cerca de 70% dos casos analisados em Wuhan, na China, enquanto 30% estavam ligados a um tipo menos agressivo. Leia mais aqui.

Tratamento

INTERAÇÃO ENTRE REMÉDIOS E CORONAVÍRUS

Remédios para tratamento cardíaco, diabetes e inflamações podem piorar o quadro de quem for infectado pelo novo coronavírus. E especialista alertam: antes de trocar a medicação, é essencial consultar os médicos. O Estado levantou dúvidas com base em questões enviadas por leitores do grupo EstadãoInforma: Coronavírus, espaço para discussão e troca de informações sobre a pandemia criado pelo jornal no Facebook.

IBUPROFENO DEVE SER EVITADO

Uma afirmação do ministro da Saúde da França apoiado em estudo publicado nesta semana na revista científica Lancet acendeu um alerta sobre a possibilidade de o uso de anti-inflamatórios como ibuprofeno piorar a infecção pelo coronavírus. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), o ibuprofeno deve ser evitado por aumentar os níveis de um receptor que facilita a entrada do vírus nas células.

OMS DIZ QUE IBUPROFENO PODE SER UTILIZADO

Com base em novas pesquisas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou que não há contraindicação para o uso do anti-inflamatório, antitérmico e analgésico ibuprofeno no tratamento de pacientes contaminados com o novo coronavírus. O uso do ibuprofeno havia sido desaconselhado pelo ministro da Saúde da França, Olivier Veran, e em um primeiro momento um porta-voz da OMS, Christian Lindmeier, reforçou o alerta.

CORONAVÍRUS E PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

Quem cuida de pessoas com deficiências severas, físicas ou intelectuais, precisa ficar alerta e fortalecer as medidas de prevenção ao coronavírus. Como não há informações abrangentes sobre o vírus, pessoas com condições genéticas ou neurológicas que tomam remédios específicos, têm restrições respiratórias ou dificuldades profundas de comunicação, precisam ser monitoradas com atenção redobrada. Veja aqui como agir se um desses indivíduos for infectado.

VITAMINA D NÃO É CURA

A notícia vinda da Itália de que a vitamina D poderia ser uma aliada para evitar o novo coronavírus e teria impactos positivos em pacientes infectados pela covid-19 logo se espalhou e despertou o interesse das pessoas pela vitamina. Mas especialistas alertam que as pessoas não devem fazer uso de suplementos, pois, em excesso, a vitamina pode causar danos aos rins e quadros de desidratação, fadiga e confusão mental. Confira aqui perguntas e respostas sobre alimentação e bem-estar.

ORIENTAÇÕES PARA INFECTADOS

Em milhares de casos de contaminações pela covid-19, não é necessário que a pessoa que contraiu o vírus permaneça em um hospital. A orientação é que o paciente fique em isolamento em sua casa, tomando as devidas precauções de segurança para si próprio e para a sua família. Mas como fazer isso, na prática? Como funciona esse isolamento domiciliar? É possível conviver no mesmo ambiente com uma pessoa que está contaminada? O que é seguro? Uma série de medidas de segurança deve ser tomada para que o paciente se recupere logo, sem oferecer riscos para sua família. Esclareça aqui todos os questionamentos.

Perguntas e respostas

VEJA 115 DÚVIDAS SOBRE O ASSUNTO

Quem precisa se preocupar com a covid-19? Por que, apesar de não ser considerado tão letal, o novo coronavírus assusta tanto? Como me proteger? O Brasil está preparado para uma epidemia? Médicos e especialistas tiram as principais dúvidas relacionadas à doença surgida na China no fim do ano passado e que se espalhou rapidamente pelo mundo, provocando o fechamento de fronteiras e mudanças no estilo de vida.

VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE: 11 PERGUNTAS E RESPOSTAS

A campanha de vacinação contra a gripe começou na segunda-feira, 23 de março, voltada aos idosos e profissionais de saúde. Em meio à pandemia do novo coronavírus, dúvidas, boatos e informações imprecisas sobre a aplicação da vacina têm se espalhado. Confira as respostas para as dúvidas mais comuns.

PLANO DE SAÚDE

Quem tem plano de saúde pode ter dúvidas sobre os seus direitos em relação a exames e consultas durante a pandemia do coronavírus. A orientação dos especialistas é ficar atento ao contrato, às novas regras e, em caso de problemas, a recomendação é acionar a operadora, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e, dependendo da situação, entrar na Justiça. O Estado levantou dúvidas sobre questões que afetam o dia a dia das pessoas.

REGULARIZAÇÃO DO CPF

O governo federal liberou o cadastro do auxílio emergencial para trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEIs), autônomos e desempregados pelo site da Caixa Econômica Federal. No entanto, muitas pessoas, ao realizar o cadastro, receberam como resposta uma caixa de texto, informando que o CPF estava em situação inválida. Para descobrir se seu CPF está em situação regular antes de tentar o cadastro no site da Caixa, basta acessar o site da Receita Federal. Também é possível tanto se inscrever no CPF quanto regularizar o documento online. Saiba como.

TABAGISMO

O cigarro está associado a uma série de doenças do trato respiratório, cardiovasculares e é relacionado também a alguns tipos de câncer. Com base em estudos feitos na China sobre o novo coronavírus, o Instituto Nacional de Câncer (Inca) divulgou uma nota técnica, alertando para os riscos de agravamento da doença em pacientes com histórico de tabagismo, que foram 14 vezes maiores do que em pessoas que não fumavam. Veja perguntas e respostas sobre o assunto.

ISOLAMENTO INTERFERE NO SONO?

Horários desregrados para dormir e acordar, insônia e cochilos fora de hora são alguns dos problemas que as pessoas podem enfrentar durante o período de isolamento social necessário diante do avanço do novo coronavírus. As consequências de uma noite mal dormida podem aparecer já no dia seguinte, com mau humor e dificuldade de concentração. Tire aqui todas as dúvidas sobre o assunto, com base em entrevistas com o psicólogo Alexandre Bez e com a clínica-geral Luciana Mancini Bari, do Hospital Santa Mônica.

RECEITA MÉDICA PODE SER DIGITAL

Embora as farmácias estejam funcionando durante o período de isolamento social, medidas foram adotadas para evitar que as pessoas, principalmente as que têm doenças crônicas e fazem parte do grupo de risco, tenham de ir a esses estabelecimentos com frequência. A possibilidade de comprar medicamentos em maior quantidade, inclusive os controlados, receita digital e a maior flexibilidade com pacientes que têm limitações são algumas das mudanças implementadas que tiveram como foco as receitas médicas. Entenda aqui todos os detalhes.

CONTRATO DE EMPREGADO DOMÉSTICO

A MP 936 permitiu aos empregadores, inclusive o doméstico, suspender o contrato dos empregados por até dois meses ou reduzir a jornada e o salário, proporcionalmente, por até três meses. Os empregadores podem reduzir jornada e salário de seus funcionários domésticos com remuneração inferior a R$ 3.135 (três salários mínimos). A redução pode ser de 25%, 50% ou 70% e por até 90 dias, com pagamento proporcional. Muitos empregadores domésticos ainda têm dúvidas de como fazer a suspensão do contrato de trabalho. Confira o passo a passo.

Brasil

PRIMEIRA MORTE

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo confirmou, em 17 de março, que foi registrada a primeira morte pelo novo coronavírus no Estado. É o primeiro registro de óbito pela doença no País. A vítima era um homem de 62 anos que apresentou os primeiros sintomas no  dia 10 e morreu no dia 16.

PRESIDENTE DO EINSTEIN ESTIMA GRANDE SUBNOTIFICAÇÃO

O pico dos casos na epidemia de covid-19 no Brasil deve ocorrer no início de abril. A previsão foi feita pelo presidente do Hospital Albert Einstein, o médico-cirurgião Sidney Klajner, em entrevista por telefone ao Estado. Ele afirmou que "é muito importante que as pessoas se conscientizem da importância de permanecer em casa" para tentar impedir o avanço do vírus. Ainda segundo estima Klajner, para cada caso notificado da doença hoje, existem outros 15 infectados sem diagnóstico.

BRASIL FECHA FRONTEIRAS TERRESTRES

O governo brasileiro determinou o fechamento das fronteiras terrestres com Argentina, Bolívia, Colômbia, Guiana Francesa, Guiana, Paraguai, Peru e Suriname. Segundo o Ministério da Justiça, o fechamento vale para fronteiras físicas, terrestres, e não atinge quem viaja de outros países de avião. O governo vai editar uma portaria específica em relação às fronteiras terrestres com o Uruguai, que ficaram de fora, por ora, das restrições anunciadas.

EXAME

Segundo o Ministério da Saúde e especialistas, o exame para detecção do coronavírus não deve ser feito de forma indiscriminada, ao primeiro sintoma clínico. Quem quiser fazer o teste por conta própria deve procurar um hospital particular. A unidade irá avaliar o paciente e indicar a necessidade do teste. Os laboratórios de análises clínicas não vêm realizando os testes em suas unidades. Leia mais aqui.

VIAGENS

O Ministério da Justiça e Segurança Pública recomendou no dia 14 de março, por meio da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), que os consumidores possam remarcar - sem custos adicionais - as viagens turísticas previstas para os próximos 60 dias. Para viagens internacionais, o consumidor que adquiriu ou reservou passagem aérea a um país que esteja com transmissão do novo coronavírus e deseja cancelar ou adiar a viagem deve entrar em contato com a companhia aérea e formalizar o pedido de cancelamento/adiamento. A empresa deve fazer o ressarcimento em até 30 dias após o pedido. Veja como cancelar a viagem e pedir o reembolso do gasto.

VIAGEM PARA A ITÁLIA

A Itália é o segundo país com mais casos confirmados de coronavírus, ficando atrás da China. Isso levou o primeiro-ministro italiano a decretar quarentena em todo o território e o fechamento de lojas. Quem tinha viagem marcada para lá ou outro país com risco de infecção começou a pensar duas vezes. O Procon e o MPF chegaram a orientar as pessoas sobre medidas de cancelamento de voos. Confira aqui.

ÁLCOOL EM GEL NO AVIÃO

Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) impõe regras para o transporte de álcool gel em voos. Nos voos domésticos, o passageiro pode transportar, em sua bagagem de mão, frascos com até 500 ml de álcool e  gel. Esse mesmo limite pode ser levado na bagagem despachada. Já em casos de voos internacionais, o limite para o transporte em bagagem de mão cai para 100 ml. No caso das bagagem despachadas nesses voos, vale o limite de 500 ml, segundo a Anac. Saiba mais aqui.

BILHETE ÚNICO PARA DEFICIENTES NÃO SERÁ BLOQUEADO

O bilhete único especial para pessoas com deficiência não foi suspenso pelo governo de São Paulo. Um boato sobre o bloqueio dos cartões por causa da pandemia do coronavírus circula entre usuários do serviço, mas a informação é falsa. Na verdade, entre as medidas anunciadas para evitar o contágio está a renovação automática do Bilhete Único Especial.

MEDICAMENTOS CONTROLADOS

Pacientes que fazem uso de medicamentos controlados poderão receber as medicações em domicílio ou comprar em quantidade suficiente para 30 dias a mais de tratamento segundo regras estabelecidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por causa da pandemia da covid-19. A resolução, que terá duração inicial de seis meses, é válida para antidepressivos, antipsicóticos, anticonvulsivantes, anfetaminas e ansiolíticos.

INSS RECEBE ATESTADO PELA INTERNET

O INSS começou a receber atestados médicos dos segurados em formato digital por meio do portal Meu INSS no computador ou no aplicativo para celular. Quem usar a plataforma para encaminhar o documento e solicitar o auxílio-doença também receberá automaticamente uma antecipação de R$ 1.045, após a validação do atestado pela perícia médica do órgão. Veja o passo a passo do processo.

DOAÇÕES

Para te ajudar a escolher a melhor forma de contribuir sem sair de casa, preparamos uma lista com as principais instituições e ONGs que buscam direcionar verbas para agentes de saúde, para distribuir itens de higiene pessoal e alimentação para comunidades carentes em diversas regiões do Brasil, casas de idosos ou crianças. Confira aqui.

ACERVOS CULTURAIS

Em tempos de quarentena, Instituto Brincante, Grupo Corpo e Osesp estão entre os que intensificaram a publicação de conteúdos online, com acesso gratuito. Conhecer manifestações populares como o frevo, o reisado e o boi-bumbá. Assistir a um concerto da Osesp na Sala São Paulo. Entrar em contato com o dia a dia de bailarinos de consagradas companhias de dança – e (re)ver seus espetáculos. Tudo sem sair de casa. Saiba mais.

VIDAS EM QUARENTENA

Como cada um de nós lida com o tempo de isolamento? São muitas as histórias comoventes e inspiradoras em meio às mudanças para se adaptar ao chamado “novo normal”. Um período que requer atenção extra com a saúde, claro. Mas que também pode ser uma oportunidade para descobrir novas formas de se alimentar, de treinar, de relaxar.​ Dez dessas histórias foram reunidas neste especial, ao lado de reportagens e dicas para você se cuidar.

COMO ECONOMIZAR ÁGUA, LUZ E GÁS

Com a maioria das pessoas em casa, a tendência é que o consumo de energia elétrica, água e gás cresça durante o período de quarentena, o que pode levar a uma crise de abastecimento desses recursos caso não haja um esforço coletivo para economizar. Veja algumas dicas para diminuir o consumo.

TELEMEDICINA

Com o objetivo de evitar aglomerações em hospitais e centros de saúde durante a pandemia do novo coronavírus, o Senado aprovou, em 31 de março, o projeto de lei que autoriza o uso da telemedicina no Brasil em quaisquer atividades da área de saúde. A decisão é válida em caráter excepcional e enquanto durar o combate à covid-19. Tire aqui todas as dúvidas sobre o tema.

MISSA SUSPENSA

Por causa da pandemia do novo coronavírus, a Justiça determinou em 14 de março a suspensão de missas e eventos no Santuário Nacional de Aparecida, maior templo católico do País, localizado na cidade de Aparecida, interior de São Paulo. A proibição alcança as celebrações da Semana Santa, inclusive os ofícios da Sexta-Feira Santa, no dia 10 de abril. Leia mais aqui.

LOTERIA FEDERAL PARA POR TRÊS MESES

Em razão de restrições e medidas impostas por governos e municípios no combate ao novo coronavírus, a Caixa Econômica Federal decidiu suspender temporariamente ou adiar alguns jogos de loteria. Os sorteios das próximas extrações da Loteria Federal foram suspensos pelo prazo de três meses. A medida passou a valer para a extração 5478, que deveria ter sido sorteada no sábado, 21 de março. No entanto, todos os bilhetes já disponibilizados seguem válidos.

FUNCIONAMENTO DE APARELHOS CULTURAIS

A partir da terça-feira, 17, São Paulo inicia uma quarentena cultural. Afinal, as salas de cinema não abrirão suas portas, assim como teatros, museus, shows, espaços culturais, galerias, além de todas as unidades do Sesc. A decisão atende a uma recomendação feita pelo governo estadual na luta contra a disseminação do novo coronavírus – e segue medidas drásticas adotadas por capitais europeias, além de Nova York.

EDUCAÇÃO INCLUSIVA

Um pacote de materiais pedagógicos inclusivos usado há três anos na rede municipal de São Paulo foi liberado para download gratuito nesta semana. São atividades do ‘Projeto Brincar’, desenvolvido em conjunto pela Mais Diferenças, Fundação Grupo Volkswagen e a Secretaria Municipal de Educação (SME). A meta da iniciativa é ajudar a enfrentar a quarentena imposta pela pandemia do coronavírus. Saiba mais aqui.

GRUPO DO 'ESTADO' NO FACEBOOK ESCLARECE DÚVIDAS

O Estadão lançou no domingo, 15, um novo canal nas redes sociais para você tirar dúvidas sobre o novo coronavírus. Criado no Facebook, o grupo #EstadãoInforma: Coronavirus (clique aqui para entrar) será um espaço para discussão e troca de informações sobre a pandemia. Todos os leitores do Estado são convidados a entrar no grupo - vinculado à página do @Estadao na rede social - e participar das discussões. Diariamente, especialistas e repórteres vão trazer as últimas informações sobre o novo coronavírus e responder dúvidas dos membros da comunidade em transmissões ao vivo.

MUDANÇA DE ROTINA NO ESTADÃO

Com a crise do novo coronavírus, a Redação do Estado passou por adaptações para manter excelência e agilidade. Grande parte dos nossos jornalistas já está trabalhando desde casa, seguindo as orientações do Ministério da Saúde. Cerca de 90% dos nossos jornalistas passaram a realizar suas tarefas remotamente, e os demais departamentos da empresa também adotaram essa medida. Veja o vídeo.

Confira todos os conteúdos gratuitos que o Estadão preparou pra você:

Notícias em tempo real: estadao.com.br/e/temporeal

Matérias especiais: estadao.com.br/e/materias 

Perguntas e respostas: estadao.com.br/e/perguntas

Newsletter diária: estadao.com.br/e/newsletter 

#EstadãoInforma: Coronavirus: estadao.com.br/e/facebook

Podcast: estadao.com.br/e/podcast

PDF Guia rápido: estadao.com.br/e/compartilha

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

É hora de usar máscara? Veja medidas para se proteger contra o coronavírus

CONTEÚDO ABERTO PARA NÃO-ASSINANTES: Uso da máscara se tornou obrigatório no Estado de São Paulo nesta quinta-feira, 7

Paula Felix, O Estado de S. Paulo

26 de fevereiro de 2020 | 13h54
Atualizado 07 de maio de 2020 | 08h23

SÃO PAULO - Lavar as mãos e cobrir nariz e boca ao tossir e espirrar são medidas que ajudam a evitar a propagação do novo coronavírus, o Covid-19. Infectologistas ouvidos pelo Estado recomendaram ainda que a população não entre em pânico e que, em caso de doenças respiratórias, só busque atendimento médico se sintomas como febre, tosse e coriza persistirem. Nesta quinta-feira, 7, o uso de máscaras passou a ser obrigatório em todo o Estado de São Paulo

"Neste momento, é importante reforçar a necessidade de higienização das mãos, porque o vírus é transmitido pelo contato. O indivíduo que está tossindo ou espirrando vai contaminar superfícies ao usar o teclado, mouse, torneira. Todas as superfícies ficam contaminadas. O álcool ou a lavagem das mãos eliminam o vírus. As pessoas devem higienizar as mãos não só para se proteger do coronavírus, mas de outras infecções virais", explica Francisco Ivanildo Oliveira Júnior, gerente do Controle de Infecção Hospitalar do Sabará Hospital Infantil, que também é supervisor do ambulatório do Instituto de Infectologia Emílio Ribas.

Oliveira Júnior diz que a avaliação dos casos confirmados e artigos científicos apontaram que, para a maioria dos pacientes, a doença não vai evoluir para quadros graves.

"Cerca de 80% dos casos têm formas leves. São pessoas que podem ser tratadas sem necessidade de internação. Esse caso consegue mostrar para a população dessa faceta da doença. A grande maioria das pessoas se recupera e tem quadros leves, que podem ser tratados em casa com o afastamento social para reduzir a possibilidade de contato com pessoas do trabalho e em situações sociais."

O restante corresponde a ocorrências graves, das quais 6% se referem aos casos muito graves - quando o paciente precisa ser internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Ele diz que, embora esse seja um aspecto positivo, tendo em vista que esses pacientes não evoluem para formas graves, essa característica facilita a propagação da doença.

"O lado ruim é que as pessoas que são pouco sintomáticas, normalmente, não ficam em casa, elas circulam e são as pessoas que têm o maior risco de transmitir a doença e causar surtos familiares, que têm sido muito descritos na China, ou vão para o trabalho, fazem compras. Além disso, tem uma porcentagem que ainda não sabemos quanto é, de pacientes que não manifestam nenhum sintoma, mas podem transmitir a doença."

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Busca por atendimento médico

Coordenador do centro de infectologia do Hospital Sírio-Libanês e reitor da Faculdade de Medicina do ABC, o infectologista David Uip diz que as pessoas que apresentam sintomas leves de doenças respiratórias devem evitar sobrecarregar os hospitais.

"Se todo mundo que tossir ou espirrar for ao hospital, a gente vai ter um problema que não é possível de dar conta nem no Brasil nem no mundo. Quem estiver com sintomas leves, deve ficar em casa. Ao tossir ou espirrar, deve cobrir a boca e o nariz, de preferência, com lenço descartável."

Uip também explicou quando, com base nos sintomas, as pessoas devem buscar auxílio médico. "Se tiver uma febre que perdura, que não some em 24 ou 48 horas ou desaparece e reaparece, e desconforto respiratório."

O uso das máscaras passou a ser obrigatório no Estado de São Paulo nesta quinta-feira, 7, e a medida também já foi adotada em outros municípios brasileiros. A máscara, mesmo a caseira, segundo especialistas, é mais um item que ajuda na proteção contra a doença.

A infectologista Nancy Bellei, professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e consultora da Sociedade Brasileira de Infectologia, destaca que é importante que as instituições tenham um diálogo franco com a população e reforça que os hospitais devem receber os casos graves.

"É preciso ter seriedade na comunicação com a população. Tem de explicar o que é a doença, quais são os sinais de alerta, quando se deve ficar em casa." Leia a entrevista completa aqui.

Como evitar o coronavírus

De acordo com o Ministério da Saúde, medidas podem ser incorporadas no dia a dia para reduzir o risco de contaminação e transmissão do vírus.

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por, pelo menos, 20 segundos. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes
  • Ficar em casa quando estiver doente
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.