Pacientes têm dificuldade para marcar exames na Santa Casa

No primeiro dia após anúncio de redução de atendimentos eletivos, funcionários receberam orientação para desmarcar procedimentos

Fabiana Cambricoli, O Estado de S. Paulo

19 Dezembro 2014 | 23h24

SÃO PAULO - No primeiro dia após o anúncio de um plano de contingência que prevê reduzir o número de atendimentos eletivos na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, alguns pacientes tiveram ontem dificuldade para agendar exames na unidade.

Com problemas no fígado há quatro anos, a dona de casa Lucilene Gomes Cardoso, de 51 anos, tentou marcar um ultrassom do abdome à tarde, mas recebeu a informação de que o exame não estava sendo agendado. “Me pediram para voltar em janeiro para ver se tem alguma novidade, mas estou pensando em dar um jeito de fazer o exame em alguma clínica particular. Saúde é sempre urgente”, afirma Lucilene.

Uma mulher que não quis se identificar tentava marcar uma ressonância magnética com anestesia para a irmã, mas também não teve sucesso. “Disseram que não tem previsão de quando haverá vaga. O problema é que ela já está esperando há mais de cinco meses”, contou ela.

Funcionários ouvidos pelo Estado disseram que receberam a orientação para desmarcar alguns procedimentos agendados. “Nesta semana devo ter cancelado uns 20 agendamentos”, disse uma funcionária do setor de raio X central.

No pronto-socorro, o atendimento estava normal, com prioridade para os casos de maior gravidade.

Mais conteúdo sobre:
Santa Casa Saúde exame

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.